Marisa Mitsue Toma

De Wikinet
Ir para navegação Ir para pesquisar
Marisa Mitsue Toma.jpeg

Marisa Mitsue Toma, também conhecida como Ematoma, foi uma publicitária e blogueira brasileira que ficou conhecida na internet pela sua morte suspeita em 2009, quando foi encontrada morta e ensanguentada na cozinha de seu apartamento com uma faca cravada no peito, isso antes de fazer duas postagens estranhas no Twitter no dia anterior, menos de 12 horas antes de morrer.

No momento da sua morte, ela tinha 33 anos, era separada do marido e deixou um único filho de apenas quatro anos.[1] Foi umas das fundadoras do blog Objetos de Desejo em 2005. A falta de cobertura da imprensa (ao contrário de outros casos de repercussão nacional) fez com que o caso fosse esquecido em menos de uma semana. Até hoje não se sabe se foi um suicídio ou um homicídio.

Biografia[editar]

Marisa Mitsue Toma nasceu no estado de São Paulo por volta de 1976. Não há informações sobre a infância e a juventude dela.

Em uma data desconhecida, se tornou publicitária na agência Click, o que sugere que ela tenha se formado em publicidade entre o final da década de 1990 e o início dos anos 2000.

Em 2005, fundou o blog Objetos de Desejo junto a outras internautas.

Em 2008, foi indicada para gerente de mídia de SINC no site em espanhol AD Latina.[2]

Provavelmente no início de 2009, Marisa criou sua conta no Twitter com o perfil Ematoma (@ematoma). Na época, o site era uma novidade, e estava sendo divulgado e usado por muitos famosos e anônimos brasileiros, tornando-se o site do ano, quase rivalizando com o Orkut. Não se sabe se ela tinha outros perfis em mídias sociais como Orkut ou Facebook na época.

Caso[editar]

Na noite de quinta-feira, 20 de agosto de 2009, por volta das 21h, Marisa Toma postou a seguinte frase no Twitter: "tomando algumas decisões bastante definitivas". Uma hora depois, às 22h, escreveu: "bai pipou! [bye people] Foi bom brincar com vocês! bjo bjo".[3]

Na manhã do 21, por volta das 10h, a empregada doméstica de Marisa Toma foi para o apartamento dela no bairro de classe média Alto de Pinheiro, na cidade de São Paulo, onde ia trabalhar. Encontrou a porta aberta e, ao adentrar a cozinha, se deparou com Marisa caída no chão, ensanguentada e com uma faca cravada no peito. Ao presenciar a cena, a empregada deixou o local imediatamente e pediu para o vizinho para que ligasse para a polícia, que chegou por volta das 11h com a perícia e o pessoal do IMLWikipedia's W.svg para remover o corpo.

No início da tarde do mesmo dia, a notícia de uma pessoa encontrada morta no apartamento se espalhou e posteriormente Marisa Mitsue Toma foi identificada como a vítima e foi parar na mídia. No entanto, a identificação da vítima fez com que suas últimas postagens no Twitter fossem divulgadas como anúncio de suicídio, fazendo com o que o Twitter excluísse seu perfil no final da tarde. No entanto, prints que haviam sido feitos foram mantidos.

Na manhã de sábado (22 de agosto), ocorreu o velório de Marisa Toma, feito por parentes e amigos. À tarde ela foi enterrada.

Segundo a imprensa da época, alguns usuários do Twitter e outros blogueiros consideraram a hipótese de suicídio. No entanto, o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil não confirmou a versão.

Contradições[editar]

Na semana seguinte, contradições nas alegações de que Marisa Toma teria se suicidado começaram a ser discutidas.[1] De acordo com a empregada doméstica, a porta do apartamento deveria estar trancada mas estava aberta. Outra contradição é que a perícia anunciou ter encontrado outra faca no chão ao lado dela coberta de sangue, como também objetos pessoais dela intactos no quarto e na sala.[1] Outra contradição é que a polícia chegou a classificar o caso como homicídio, mas teve que recuar para apenas "morte a esclarecer".[1]

O caso fez com que as alegações de que Marisa Toma teria se suicidado fossem questionadas, levantando a hipótese de homicídio. De acordo com informações de pessoas próximas, Marisa Toma era depressiva, mas outras alegações afirmam o contrário, citando que ela estava em um emprego estável e tinha único filho, não sugerindo nenhum motivo para depressão seguida de suicídio.

Outro detalhe que chama atenção: apesar do prédio ter câmeras de circuito interno, nunca houve divulgação dos últimos momentos de Marisa Toma. Também não houve divulgação sobre o ex-marido dela com quem teve seu primeiro e único filho de quatro anos. Não há informações sobre o menino e se ele passou a ser criado pelo pai ou por parentes da mãe falecida. A falta de cobertura da imprensa sobre novidades em relação ao caso fez com que sua morte fosse esquecida em menos de uma semana.

Usuários de alguns fóruns na época (entre eles o Outer Space) questionaram o fato dela ter se matado com uma faca, alegando que ela não teria força suficiente pra enfiar a faca no coração por ser mulher. Eles suspeitam que ela tivesse sido assassinada e não cometido suicídio.[4]

Fontes[editar]

Salsa

Links[editar]

  • EMATOMA no Twitter (outro perfil no lugar, hoje abandonado)
  • ematoma no MySpace (provável perfil)