Maria Nikolaevna Ashenkova

De Wikinet
Ir para navegação Ir para pesquisar
Masha.jpeg

Maria Nikolaevna Ashenkova (russo: Мария Николаевна Яшенкова), mais conhecida como Masha Allen (Novoshakhtinsk, Rússia, 1992) é uma russa com cidadania americana que ficou conhecida por aparecer em mais de 200 fotos sexualmente explícitas quando era criança do final dos anos 90 até o início dos anos 2000 e por ser molestada sexualmente pelo pai adotivo, o então engenheiro aposentado e ex-militar Matthew Mancuso.

Antes de sua descoberta, ela usava diversos nomes. Ela já foi conhecida pelo nome de Vicky, que muitos achavam que era seu nome real. Também já foi chamada de Disney World Girl por aparecer em umas das fotos visitando o parque temático que fica no estado americano da Flórida. Em fotos vazadas na internet, ela ficou conhecida como Internet Girl e Internet Porn Girl, o que fez com que a polícia temesse que ela ainda estivesse sendo abusada da maneira descrita nas fotos que circulavam há muito tempo.

Em 1998, nos Estados Unidos, Matthew Mancuso adotou Maria Ashenkova, uma garota russa de cinco anos que tinha sido alvo de violência doméstica por sua mãe. Mancuso fez Maria dormir com ele nu em sua primeira noite em sua casa após sair da adoção e algum tempo depois começou a abusar dela e tirar fotos. No início, eram fotos típicas que qualquer pai tiraria de uma criança, com ela totalmente vestida, mas aos poucos ele começou a fotografá-la de calcinha, depois nua e finalmente praticando atos sexuais.

Mancuso manteve Ashenkova sob ameaça de não falar com ninguém, ao recompensar sua participação em sessões de fotografia com brinquedos e videogames, além de uma viagem anual à Disney World. Nessa época, ele a acorrentou à parede em seu porão para algumas fotos com tons de BDSM, a obrigou a partilhar o seu chuveiro e a impediu de comer junk food, massas e matérias vegetais em favor da manteiga de amendoim e sanduíches, de forma a mantê-la magra e atrasar o início da puberdade. Até a fez passar por um casamento simulado com ele.

Os abusos duraram cinco anos até que agentes do FBI invadiram a residência de Mancuso em maio de 2003, depois dos agentes se infiltrarem e trocarem fotos com Mancuso online, fingindo serem pedófilos interessados nas fotos da menina. Os agentes então prenderam Mancuso e encontraram a menina. Mike Zaglifa, o sargento da polícia no subúrbio de Palos Heights em Chicago, afirmou à imprensa na época que havia conseguido o endereço IP do computador de Mancuso. A menina que foi encontrada surpreendeu os agentes do FBI ao confessar os crimes do pai adotivo, mas eles não sabiam que tinham solucionado um crime que estava sem solução desde final dos anos 90.

Somente em 2005 as autoridades descobriram que Vicky ou Maria Ashenkova é a mesma garota em que aparece nas fotos como Disney World Girl, Internet Girl e Internet Porn Girl, o que fez com que seu pai adotivo fosse condenado pela Justiça de 30 a 70 anos de prisão. Em 2006, Masha Allen surpreendeu ao público americano ao aparecer na grande mídia contando sua história. Uma lei no seu nome reformou as leis de adoção, levando a repercussão internacional. A própria escreveu ao presidente russo Vladimir Putin pedindo-o para não restringir as adoções por causa do caso dela (mas isso não deu certo, pois menos de uma década depois surgiram novos casos de russos adotados sendo agredidos ou abusados por americanos).

Ver também[editar]

Fontes[editar]