Censura

De Wikinet
Revisão de 15h19min de 23 de janeiro de 2021 por Rhubella Marie (discussão | contribs) (→‎Censura na Internet: Adiciono imagem do Min. da Saúde censurado no Twitter. e Fake news no artigo)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar
De tanto preocupar-se com a face das pessoas, o Google Maps acabou censurando um monumento.

Censura é o ato escroto de apagar ou eliminar alguma informação. O filho da puta que pratica a censura se chama censor.

Nem sempre foi assim. A palavra censor e a palavra censo tem a mesma raiz, em latim, porque, na República Romana, o censor (eram sempre dois de cada vez) era o responsável por fazer o recenseamento dos cidadãos, alguma porra que eu não entendi sobre o Senado e as obras públicas, e fiscalizar a conduta moral dos cidadãos. É por causa desta última função, que os censores sempre abusavam para fuder os inimigos políticos, que deriva a conotação atual de censura.

Hoje em dia a censura é uma praga que permeia tudo. Tem censura na televisão, revistas, jornais, rádio, livros; até mesmo a anárquica Internet sofre censura, porque não existem países livres onde possam ser hospedados sites com qualquer conteúdo, e sempre haverá algum filho da puta que pode levar os donos do site à "justiça" para que eles sejam punidos por tentarem exercer a liberdade de expressão.

Racionalidade da censura

Imagem inadequada para crianças e adolescentes. Os defensores da censura acreditam que colocando tarjas pretas sobre as partes obscenas de imagens, elas se tornariam aceitáveis para todas as idades. Isto é um erro: o que é oculto torna-se sedutor, e provavelmente faz mais pessoas procurarem, mesmo recorrendo a meios ilícitos.
Imagem com conteúdo impróprio censurado.

É claro que se existe censura, é porque tem gente que defende a censura (e neste caso eu não chamei os caras de filhos da puta porque alguns deles realmente acham que estão fazendo o bem).

Alguns acham que é válido censurar informações que podem trazer perigos à segurança nacional, como divulgar horários das ações policiais ou as identidades dos agentes secretos.

Outros acreditam que ideias tóxicas (ou seja, memes do mal) podem infectar pessoas, levando-as a se tornar psicopatas assassinos.

Outros usam a censura com o pretexto de proteger as criancinhas.

Censura no Brasil

Obviamente, havia censura pra caralho durante a Ditadura Militar e, teoricamente, a censura acabou com a volta da Democracia.

Só que não foi bem assim, e o pior é que as pessoas mais sensatas e liberais acabaram dando aos censores o pretexto para voltar.

O auge da democracia no Brasil foi o histórico dia 16 de abril de 1992, quando a extinta Rede OM (cujo dono diziam ser um testa de ferro do Presidente Collor) exibiu a primeira parte do filme Calígula. Eles prometeram passar a segunda parte dois dias depois (porque o dia seguinte era a Sexta-Feira da Paixão, uma data não muito recomendável para passar putaria), mas houve tantos protestos que a censura ressurgiu.

A partir daí, como diz o ditado popular, depois que passa o boi, passa a boiada. Com o pretexto idiota de "proteger as criancinhas", passo a passo, foram censurando tudo.

Em 1996, proibiram propagandas de cigarro em horários diurnos na televisão e rádio. Uma iniciativa aparentemente nobre, mas foi mais uma vez a sociedade preferindo métodos truculentos da ditadura em vez de investir em esclarecimentos e educação.

Logo depois, proibiram bundas em propaganda de cerveja, e mais tarde proibiram de vez as bundas e as cervejas em propagandas.

Tiazinha foi uma das pessoas perseguidas pela censura.

Um dos casos mais deprimentes de censura fez de vítima a Tiazinha. Ela fez sucesso em 1998, aparecendo em um programa de TV completamente vestida, com máscara, uma calcinha opaca e um enorme sutiã, que ela fingia tirar no final do programa. Nesta época, já havia muita censura na televisão, então este quadro inocente foi considerado "sensual". Mas, para aproveitar o sucesso, ela lançou em 1999 uma linha de cadernos escolares com a sua imagem. O que os filhos da puta fizeram? Mandaram recolher os cadernos, colocando-se acima dos pais das crianças que queriam comprar os cadernos para educar os filhos na senda do heterossexualismo - e nem se preocuparam em indenizar a modelo pela renda perdida.

O carnaval, que era uma festa da sensualidade da mulher carioca, foi sendo corroído por juízes inescrupulosos e cúmplices da viadagem, que tiravam pontos das escolas que apresentavam mulheres gostosas. O resultado é que agora não tem mais nenhuma gostosa desfilando, e as poucas que conseguem se mostrar não aparecem na televisão.

Censura na Internet

Nem os órgãos do governo são livres da censura quando fazem fake news.

Tirando sites filhos da puta que se auto-censuram, não existe censura de pornografia na Internet.

A coisa pega quando se fala de pedofilia, drogas, nazismo, fake news e terrorismo, mas, o pior, é o tal copyright. Em nome do copyright, qualquer coisa pode ser removida, até mesmo sites que colocam a Bíblia já foram tirados do ar (com o pretexto idiota de que a tradução havia sido feita há menos de 70 anos).

Ver também

Ligações externas