Sophia Fernandes

De Wikinet
Ir para navegação Ir para pesquisar
Exemplo de tweet polêmico

"Sophia Fernandes" (@SophiaOfDreams) foi um perfil do Twitter usado por uma suposta estudante gaúcha de Direito que, em 9 de dezembro de 2011, foi repudiado nacionalmente por fazer comentários preconceituosos contra nordestinos, além de atacar a população por eleger a Dilma.[nota 1]

Após milhares de denúncias, hackers invadiram o perfil e removeram as postagens preconceituosas. No entanto, horas depois, internautas que desconfiaram as atitudes do perfil descobriram que ele era fake. As fotos eram de uma moça que morava em Paraná e não tinha nada a ver com a história. Antes da descoberta de que o perfil era fake, alguns chegaram a comparar o caso com o da Mayara Petruso, ocorrido um ano antes (2010).

O caso do perfil "Sophia Fernandes" é semelhante ao dos perfis Amanda Regis, Carolina Beloni e Patrícia Ferrari, todos ocorridos sete meses antes, quando em maio de 2011 postaram mensagens contra os nordestinos após uma partida de futebol. Após as postagens repercutirem fora do Twitter, os perfis foram tirados do ar e foi descoberto que eram fakes.

Menos de uma semana depois, dia 13 de dezembro, outro perfil com característica semelhante chamado Karine Melchior (@KarineMelS2) surgiu no Twitter e provocou nova onda de indignação ao fazer comentários preconceituosos contra nordestinos e negros.

A pessoa real por trás dos posts nunca foi achada, tornando o caso muito semelhante ao do perfil "Isabela Cardoso", que viria a ocorrer mais de três anos depois em 2015.

História[editar]

Antecedentes[editar]

No dia 8 de dezembro de 2011,[1] os piauienses criaram a hashtag #insultopiauiense para falar sobre termos que são usados como insultos no Piauí que eram desconhecidos por brasileiros de outros estados. Na noite do mesmo dia,[1] o perfil "Sophia Fernandes" (@SophiaOfDreams) aproveitou a onda para postar comentários contra os piauienses.[1]

Ataques[editar]

Na noite do dia 8 de dezembro, "Sophia Fernandes" fez tweets com a hashtag #insultopiauiense xingando povo do Piauí e os moradores de Teresina (capital do estado), e mais tarde a todos os nordestinos em geral.

"#insultopiauiense insulto é essas merdas existirem, falo mesmo..."

"Só os cabeça de bosta. #insultoCearense"

"bahia=macumbeiros"

Vai cortar tua cana nordestino.. colocar a comida na mesa para seus 15 filhos se alimentarem…… viver de bolsa família é fácil, né?[1]

Cesta básica do Fome zero tinha que ser Bosta de Cachorro.. desperdiçar comida com esse povo “lixo” é foda.[1]

Diante da reação dos outros usuários, o perfil disse que estava usando a liberdade de expressão para se manifestar:

Legal, agora eu sou neonazista, pratico xenofobia.. só porque não entendo, conheço e desprezo o nordeste.

Ela ainda citou a eleição de Dilma Rousseff de maneira indireta, atribuindo a vitória da petista, que classifica de corrupta, aos nordestinos:

Querem falar de Justiça.. Justiça deve ser feita contra vocês.. que colocam em toda eleição um governo corrupto.. que só ilude vocês..

Ela faz críticas sobre o governo e a Justiça, insinuando que eles protegem nordestinos por ser um povo "frágil e intocável":

O Governo Brasileiro, Ministério da Justiça, povo brasileiro no geral é estranho... trata o nordeste como frágil e intocável.

Denúncias[editar]

O perfil @sophiaofdreams foi alvo de 8.148 denúncias de preconceito contra nordestinos ao longo do dia 9 de dezembro. Em entrevista ao site Terra Magazine, a ONG Safernet disse que estava investigando para saber se a conta tinha sido hackeada ou se a internauta era mesmo a responsável pelos tweets ofensivos.

A Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE) anunciou ter entrado com uma notícia-crime contra Sophia Fernandes para que responda judicialmente pelo crime de racismo. A denúncia foi encaminhada horas depois ao Ministério Público Federal (MPF) do Rio Grande do Sul, onde a internauta alegava residir.[2]

Não havia postagens contra alguma raça específica (neste caso, negros), ou seja, legislação freestyle.

Perfil hackeado[editar]

Na madrugada do dia 10 de dezembro, três grupos de hackers (@GrayHatBRGroup, @iPiratesGroup e @AntiSecBrTeam) hackearam o perfil, mudando-o para a seguinte frase: "Perfil hackeado por conter apologia a XENOFOBIA". Também retiraram a foto de perfil e apagaram todas as mensagens escritas, deixando a mensagem #NordestinoSimSenhor como imagem de plano de fundo.[3]

Anteriormente, os hackers @iPiratesGroup e @AntiSecBrTeam foram responsáveis por retirar diversos sites de governos estaduais, câmaras municipais e prefeituras no início de novembro de 2011.

Reviravolta[editar]

No entanto, horas depois do perfil ter sido hackeado, internautas que desconfiaram das declarações descobriram que o perfil em questão era fake. Alguém havia usado fotos de Eloise Guimarães, de Curitiba (Paraná), que não tinha nada a ver com a história, para fazer o fake.[4]

No entanto, algum tempo depois, as investigações não foram para frente (graças à incompetência das autoridades brasileiras) pois o trollador(a) desta história, que quase iria provocar um linchamento virtual a uma inocente, nunca foi identificado(a). Mais um caso de alguém que gozou de impunidade!

Suspeitos[editar]

Houve suspeitas (nenhuma comprovada) sobre quem teria criado o perfil e por quê:

  1. Os próprios grupos de hackers que invadiram o perfil (@GrayHatBRGroup, @iPiratesGroup e @AntiSecBrTeam) poderiam ter sido os responsáveis pela criação dele. Com a repercussão conseguida, eles teriam simulado uma invasão com o intuito de se autopromoverem.
  2. Na época do bafafá todo em torno dos casos Sophia Fernandes e Karine Melchior, outro caso que começava a ganhar repercussão era o controverso blog Silvio Koerich, que postava um monte de absurdos defendendo violência contra as mulheres. Especula-se que os fãs do controverso blog teriam sido os autores do perfil, já que existia a prática de criar perfis falsos para gerar polêmica gratuita (jorgice).
  3. Também pode ser que algum esquerdista ligado à Militância em Ambientes Virtuais (MAV) tenha criado o perfil para botar culpa na direita e no PSDB, com o fim de manter a polarização entre petistas (PT) e tucanistas (PSDB) e desviar a atenção das constantes demissões que a Dilma realizou durante o ano e que duraram até meados de 2012.

Casos semelhantes[editar]

  • Mayara Petruso (nesse caso, era perfil verdadeiro em 2010)
  • Carolina Beloni (xingou muito o atacante de futebol e ex-jogador do Ceará, Magno Alves, em maio de 2011)
  • Amanda Regis (xingou muito os nordestinos em maio de 2011)
  • Patrícia Ferrari (concordou com alguns xingamentos contra nordestinos em maio de 2011)
  • Karine Melchior (xingou muito os nordestinos e os negros em dezembro de 2011)
  • Isabela Cardoso (perfil falso em 2015, com maior repercussão)

Notas[editar]

  1. Ironicamente, o Rio Grande do Sul era então governado pelo petista Tarso Genro, o que prova que gaúchos também elegem petistas.

Salsa

Links externos[editar]