Soberanos da Revolução

De Wikinet
Ir para navegação Ir para pesquisar
Site elitesdr.com, ativo ao final de 2010.[1] Um dos artigos defende Mayara Petruso, que ficou conhecida por ofender nordestinos.

Soberanos da Revolução (SDR) foi um grupo de cariocas racistas e ateus muito polêmico que atuou em comunidades do Orkut e em sites próprios entre 2007 e 2011. Encabeçado por um mimado conhecido pelo apelido Revolucionário e sua namorada TG, os SDR defendiam várias opiniões extremamente controversas e provocativas, mas até hoje não é muito claro se eles realmente pensavam assim ou se só o fingiam para chamar atenção (o que hoje seria visto como jorgice).

Eles se diziam do Rio de Janeiro e faziam várias críticas à cidade, mas alguns afirmavam que eles eram na verdade de São Paulo.

História[editar]

O grupo Soberanos da Revolução (SDR) foi criado por torno de 2007 por um usuário do Orkut conhecido pelo apelido Revolucionário, que mais tarde conheceu sua futura namorada, conhecida como TG.

Algum tempo depois, a dupla conseguiu ganhar seus fãs por defender opiniões extremamente controversas e provocativas, se dizendo cariocas que odeiam a música funk, as favelas e a cidade, além de defender o racismo e o ateísmo.

No entanto, com passar do tempo, alguns fãs da SDR começaram a questionar os ideais e saíram do grupo, acusando os criadores de não serem claros se realmente defendiam aquelas ideias ou se só fingiam pra chamar atenção.

Também havia muito questionamento se realmente os líderes viviam no Rio de Janeiro, já que faziam várias críticas à cidade e os bairros, e alguns afirmavam que moravam na cidade de São Paulo.

No final de 2010, a revista Época fez uma matéria sobre a SDR e sua defesa de Mayara Petruso, acusada de postar mensagens contra nordestinos.[1] Após a publicação, internautas ficaram irados e passaram fazer denúncias e realizar ataques contra o grupo.

Em 2011, a SDR sumiu da internet.

Ideologia[editar]

Eles seguiam uma visão radicalmente hedonista, supremacista e naturalista do mundo.

  • Raça: Os SDR acreditavam na supremacia estética e intelectual dos brancos em relação aos negros. Diziam que negros só podiam ser bonitos se copiassem características naturais dos brancos (como cabelo liso em vez de crespo). Se opunham ferrenhamente à miscigenação e diziam que se negros reproduzissem, estariam perpetuando o sofrimento da própria raça, então o melhor seria que se extinguissem. Em outras postagens, declaravam um ódio mais explícito, se referindo a negros como "macacos"; Revolucionário chegou a dizer que odiava negros.
  • Nazismo: Apesar de usar simbologia nazista, eles não se declaravam explicitamente nazistas (provavelmente porque isso os classificaria automaticamente como criminosos).
  • Ateísmo: Um dos principais dogmas do grupo. Defendiam que ateus pensavam de forma livre, eram mais inteligentes, e que toda e qualquer religião era pura estupidez.
  • Idade: Defendiam que pessoas se suicidassem aos 30 anos para não ficarem feias, decadentes e doentes com a velhice.
  • Gênero: O grupo não era machista e tinha várias mulheres. No entanto, defendiam que amizade entre homem e mulher é algo impossível pois a atração de um pelo outro sempre vai interferir.
  • Homofobia: Eram radicalmente contrários à homossexualidade, considerando-a como uma parafilia. Revolucionário dizia que mulheres lésbicas estavam apenas equivocadas e precisavam de alguém para lhes ensinar que só conseguiriam a felicidade num relacionamento com um homem, enquanto homens gays eram criminosos e mereciam ir mesmo para a cadeia.
  • Vegetarianismo: Eram vegetarianos e afirmavam que quem sente pena de animais abusados mas come carne é hipócrita.
  • Videogames: Eram contra jogos virtuais, que segundo eles eram um "passatempo de fracassado".

Membros[editar]

  • Revolucionário (possível nome real: Leandro): Cofundador e principal expositor das ideias do grupo.
  • TG: Co-fundadora e namorada de Revolucionário. Seu nick seriam supostamente as iniciais do seu nome.
  • Hostil
  • Renata Gonçalves da Silva
  • Lisa: Foi expulsa do grupo após os SDR pegarem um vídeo dela dançando funk (o que ia contra a ideologia do grupo). Depois entenderam que era apenas uma brincadeira e ela foi convidada a voltar, mas se recusou.
  • Aline

Comunidades que eles tinham no Orkut[editar]

  • Odeio o Rio de Janeiro OFICIAL
  • Funk = Música de Vagabunda!
  • Beleza é tudo e mais um pouco
  • Queria ter cuspido em Jesus

Salsa