Rogério Gaspar

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa
Rogério Gaspar
Sem foto.png
Nome realRogério Gaspar
Nascimento1954
Morte26/05/2008 (54 anos)
Campina do Siqueira, Curitiba - PR
OcupaçãoTécnico em eletrônica

Rogério Gaspar foi um técnico em eletrônica homossexual que, em 26 de maio de 2008, foi alvo de um assassinato e latrocínio brutal em sua residência no bairro de Campina do Siqueira, Curitiba. Era irmão da dona da ALL logística, possivelmente a Rosângela Gaspar Lara.[1][2]

Até hoje não se sabe quem foram os autores e mandantes do crime. Chans brasileiros costumam atribuir o crime a Emerson Eduardo Rodrigues, uma figura polêmica na internet. Emerson, por sua vez, diz que Rogério Gaspar era seu amigo desde os anos 90 e atribui seu homicídio a Ivan Fagundes Machado, um suposto amante de Rafaela Almeida Vivas da Silva (antes de Emerson se envolver com ela)[3] a mando da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e junto com seu ex-cunhado Michael Oliveira.[4]

Emerson com os cachorros de Gaspar

De acordo com um comentário anônimo no blog de Lola Aronovich, Emerson, quando jovem, praticamente morava na casa de Rogério e chegou a cuidar dos seus sete cachorros Husky Siberianos (Nala, Prulia, Catita, Xuxa, Simba, Rimgo e mais um de nome desconhecido). Um dia, Rogério teria flagrado Emerson agredindo os cachorros com um taser sem motivo aparente, pois todos eram muito dóceis. Outro comentário, encontrado em um chan, diz que Rogério fazia Emerson dormir na casinha dos cachorros. No Orkut, Emerson relatou que resistiu a todas as pressões e chantagens de Rogério para dormir com ele, nunca tendo feito nada.[5] Rogério teria ajudado Emerson a conseguir clientes e um diploma falso de engenharia.

Emerson diz que, à época do crime, teria alertado Rogério sobre seus perseguidores e estava em El Salvador trabalhando como engenheiro sênior num projeto da Claro para as empresas Gimbel (alemã) e Skima (israelense). Ele planejava montar uma empresa com Rogério, que ele admirava por ter trabalhado 27 anos na SiemensWikipedia's W.svg e adquirido grandes habilidades tecnológicas, além de ter passado vários dos ensinamentos que Emerson diz ter colocado em seus livros.[6][7]

O crime[editar]

Rogério foi encontrado nu, enforcado e morto, já em avançado estado de decomposição, com pés e mãos amarrados, dentro de sua casa, na Rua Francisco Nadolny, Campina do Siqueira, perto da casa de Emerson. Todos os seus cachorros também foram mortos. Segundo vizinhos, ele estava há pelo menos 10 dias sumido. Ele morava sozinho e costumava ir com frequência para o litoral, onde tinha casas alugadas, por isso acreditaram que ele estava viajando.

Presunto fresco. É nóis na fita.

— Pichação deixada na casa de Rogério

Da casa dele foram levados um Honda Civic, um computador, dois notebooks, um televisor de plasma, um home theater, cartões de banco, documentos, dinheiro e uma caixa de ferramentas. Na saída, ainda foram deixados recados escritos nas paredes, ironizando a morte. Os familiares conversaram com o polêmico delegado Luiz Carlos Oliveira e a polícia teria solicitado verificações nas contas bancárias da vítima para ver se houve saques, porém as informações pouco ajudaram a elucidar o caso.[8][9] Depois disso, não houve mais notícias sobre o crime. Emerson quer muito que o caso seja retomado e inclusive já comentou de pedir que a irmã de Rogério peça novas investigações.

Suspeitos e motivações do crime[editar]

Segundo um comentário[editar]

Emerson teve um relacionamento gay com Rogério Gaspar, gerente de telecomunicações da Siemens que ajudava o Emerson na sua carreira. Graças a esse relacionamento, sendo Emerson ativo e passivo na relação, Rogério queria assumir o relacionamento em público pressionando-o, mas Emerson mandou matar Rogério Gaspar, alegando querer “preservar sua reputação”.

—Comentário em post do blog de Lola Aronovich[10]

Segundo Emerson[editar]

Emerson nega a autoria do crime e acusa:

  • Rafaela Almeida Vivas da Silva: Seria a principal mandante do crime, apesar de não ter participado da execução.
  • Ivan Fagundes Machado: Segundo Emerson, um negro que trabalhava para a Igreja Universal e seus políticos fazendo o "trabalho sujo" e que tinha um caso com Rafaela. É dono de uma empresa de investigações.[11][12] Teria participado da execução do crime junto com Michael.
  • Michael Oliveira: Filho do pastor e deputado Oliveira Filho e irmão da esposa de Ivan. Segundo Emerson, Também tinha um caso com Rafaela, era um drogado e funcionário fantasma da Assembleia Legislativa do Paraná, ganhando de 16 a 20 mil reais sem fazer nada.[13][14]

Salsa