Psycl0n

De Wikinet
(Redirecionado de Psy)
Ir para: navegação, pesquisa
Voz de Psy
Psycl0n
Psy-abordado.png
Psy ao ser abordado pela equipe do Profissão Repórter.

Nome completo
Marcelo Valle Silveira Mello
Apelidos
Psytoré, Psy, Batoré
Nascimento
09/08/1985 (33 anos)
Brasília
Residência atual
Alguma prisão em Curitiba
Conhecido por
Criação de vários sites jorges
Rivalidade com Emerson


Psycl0n, também conhecido como Psytoré, Batoré, ou apenas Psy (Powerword: Marcelo Valle Silveira Mello), é uma subcelebridade da internet. Começou a ganhar notoriedade no falecido Orkut, ao direcionar ataques e ameaças a esquerdistas, mulheres e negros. Após várias idas e vindas da internet, Psy já foi preso, viajou para o exterior, e hoje se encontra preso de novo e condenado a 41 anos na cadeia. Conseguiu se tornar odiado pelos chans brasileiros e criou um para que retardados pudessem babar seu ovo por ser jorge ao extremo.[1]

Apelidos

Além dos apelidos acima, ele também é referido por vezes como Madureira, Tonho, Ash Ketchum e Golo-Golo.

Sua jornada

A primeira aparição do Psy que se tem notícia vem de 2005. Desgostoso da vida, Psy apanhou na faculdade onde estudava por seus comentários racistas e sua mãe o colocou de castigo. Como era estudante de computação, decidiu que iria usar a internet a seu favor para cometer suas jorgices mirabolantes. Criou uma conta no Orkut e ameaçou estudantes de sua universidade. Isto incluiu ameaças envolvendo bombas.[2]

2010-13: Silvio Koerich

Em 2010, Psy conheceu Emerson Eduardo Rodrigues Setim em comentários do blog masculinista e antifeminista Silvio Koerich, que fora invadido por feministas militantes, o que aumentou sua popularidade. Os dois viraram amigos e começaram a conversar por e-mails e mensagens privadas. Seus comentários no blog chamavam mais atenção do que outros por serem extremos demais, o que fez Silvio passar a exigir aprovação de comentários e mais tarde, com a insistência dos dois, bani-los.

Blog falso criado por Psy e Emerson

Em abril de 2011, com o Massacre de Realengo, o blog parou de fazer postagens devido a acusações de que o site teria indiretamente motivado o massacre[3] Em julho, sem dar nenhum motivo, Silvio anunciou o encerramento das atividades, mas manteve os posts no ar para preservar a história do blog.

Emerson e Psy decidiram se vingar de Silvio Koerich e criaram duas cópias baratas do blog com o mesmo nome (caso um caísse, outro era usado). Mas a versão deles, além de ser antifeminista, era cheia de jorgices defendendo estupro, racismo, pedofilia, preconceitos, massacres, entre outros assuntos chocantes para quem não tinha estômago ou costume de ler tantas barbaridades. O blog começou a funcionar em outubro, cerca de três meses depois do verdadeiro anunciar o fim das atividades.

O blog jorge de Emerson e Psy começou a repercutir em meados de dezembro por causa de postagens reproduzidas nas redes sociais (Orkut, Twitter e Facebook) e posteriormente na imprensa brasileira. O blog chamou, inclusive, atenção do grupo hackivista Anonymous e recebeu 69 mil denúncias na Polícia Federal. Ao saber que o blog fake extremista estava dando mais atenção do que o original, o verdadeiro Silvio Koerich decidiu tirar o blog do ar e se apresentar na polícia negando sua autoria das postagens criminosas. O Anonymous tentou derrubar o blog duas vezes (sem sucesso), mas conseguiu obter as identidades dos responsáveis.

Psy no camburão em 22 de março de 2012.

Em 22 de março, depois de um post no blog prometendo um massacre igual ao de Realengo na Universidade de Brasília, que chamavam "reduto de esquerda", a Polícia Federal resolveu antecipar a operação e bateu na porta dos dois amigos, prendendo-os em flagrante (já que não deu tempo de botar o HD no micro-ondas).[4] Toda a imprensa brasileira acompanhou o caso de perto.

Durante a condenação e julgamento, Emerson e Marcelo botaram a culpa um no outro para tentar se safar, o que fez com que cada um tivesse seu advogado de defesa e a eterna rivalidade entre os dois começasse. Psy não foi preso apenas pelas postagens defendendo racismo e estupro e por ameaças, mas também por possuir imagens de jailbaits em seu computador.[5]

Em maio de 2013, Emerson e Marcelo foram soltos pela Justiça para responderem em liberdade, mesmo tendo sido condenados a seis anos de prisão, e continuaram a brigar. Ao contrário da mega cobertura que teve a imprensa na prisão da dupla responsável pelo blog Silvio Koerich em 2012, a soltura deles foi praticamente ignorada pelos jornais, o que sugere como a imprensa age realmente a estes casos que vão sendo esquecidos.[6]

2013-15: Após soltura

Emerson e Psy brigaram algum tempo depois do blog do Silvio Koerich, aparentemente por um ter acusado o outro de ser o criador do site (mesmo eles tendo criado juntos), e os ataques de ambos renderam o bloqueio dos dois de entrar nos Estados Unidos.

Após a poeira ter abaixado, Psy atacou novamente em sua busca por popularidade, dessa vez roubando o domínio do 77chan e o redirecionando para o Dogolachan, por seu dono ser um incluso e não ter trocado a senha padrão do Kusaba. Logo depois o 55ch foi restaurado e Psy continuou atacando quem podia, como a feminista Lola Aronovich, o antigo dono do 55ch e fazendo doxxing. Criou ao todo 3 blogs de jorgice (Realidade, Homens de Bem e Reis do Camarote) que logo foram derrubados. Ele temia passar um tempo na cadeia novamente; alguns anons dizem que um negro chamado Tio Billy tentou fazê-lo de mulher na prisão.

2015: Reconciliação e segunda briga com Emerson

Emerson e Marcelo no Bar do Alemão em Curitiba.

Em 2015, um fato chamou atenção dos fãs, haters e curiosos: fotos tiradas em outubro no Bar do Alemão em Curitiba mostrando Emerson e Marcelo juntos (uma delas mostra Marcelo fazendo a saudação nazista) passaram a circular na internet, sugerindo que a dupla havia se reconciliado por motivos desconhecidos.

Em novembro, Emerson, Marcelo e um homem conhecido apenas como "Coelho" viajaram de carro de Curitiba ao Rio de Janeiro. Emerson pegou um carro emprestado, Marcelo pagou a gasolina e Coelho dirigiu. Emerson tinha dito aos dois que ele só iria ao Rio para tirar o visto de seu passaporte, mas em algum momento depois, Marcelo descobriu que Emerson na verdade pretendia ver o então deputado federal Jair Bolsonaro num encontro que já estava marcado para o dia seguinte. Irado com a descoberta, Marcelo contou-a a Coelho e os dois resolveram se vingar secretamente de Emerson: descobriram o telefone da equipe de Bolsonaro e um deles (provavelmente Marcelo) informou aos assessores do então deputado tudo sobre o passado negro de Emerson, tendo inclusive pedido para pesquisarem o nome dele no Google. No dia do tal encontro, Bolsonaro não quis receber Emerson, para o seu desapontamento. Após os três voltarem de carro para Curitiba, Marcelo e Coelho revelaram o que tinham feito, além da descoberta do vídeo que fizeram falando mal da filha do Emerson. A revelação foi o estopim da nova briga entre Emerson e Marcelo, dessa vez envolvendo também Coelho. Desde então, Emerson e Marcelo nunca mais se falaram de novo.

Após o ocorrido no Rio e na viagem, Emerson passou atacar Bolsonaro nas redes sociais sem nenhum motivo aparente, tornando-se um direitista e intervencionista. Se valeu de acusações e ameaças, o mesmo modus operandi contra Olavo de Carvalho. Isso indignou os seguidores do Bolsonaro, que passaram a então pesquisar o passado do antipetista, descobrindo que ele fora preso em 2012. Os ex-simpatizantes passaram a denunciar o perfil dele no Facebook, usando as fotos de Marcelo e Emerson juntos no Bar Alemão para atacar a dupla, alegando que a briga entre eles é uma farsa.

Em dezembro de 2015, Psy foi alvo dos jornalistas da Rede Globo. A feminista Lola o fez aparecer para tentar mandá-lo de volta para a prisão, mas infelizmente a Polícia sabe que o Marcelo é inofensivo.

2017-18: Ameaças nos EUA e ataque do antifa

Em 2017, Psy usou uma falha em impressoras fax em Cleveland, Ohio, EUA, mandando centenas de falsas ameaças de bomba em nome do Emerson, o que gerou um furdúncio enorme no 55ch e em jornais locais.[7][8][9][10] O conteúdo, cheio de erros gramaticais, era:

A ameaça feita em nome de Emerson, distribuída por fax para vários locais de Cleveland, Ohio em 27 de maio de 2017. Imagem extraída desse vídeo.

Good Morning,

I'll be brief.

I installed several explosives in the building.

If you do not send in the amount of $ 25,000 by May 31st I will blow up this whole block.

If you try to contact the police, I'll know.

I also have access to your computers and email addresses.

Go to the nearest WesternUnion agency and send the amount to Emerson Eduardo Rodrigues Setim. The passport number is FO645170. It's a brazilian passport. The city that the money will be withdraw is Chicago, Illinois, USA.

Do as I say and no one will get hurt.

PS: I repeat, if you try to contact the police i will known.

[10]

Tradução:

Bom dia, eu serei breve.

Instalei vários explosivos no prédio.

Se vocês não enviarem o valor de $25.000 [vinte e cinco mil dólares americanos] até o dia 31 de maio, eu explodirei esse bloco inteiro.

Se vocês tentarem entrar em contato com a polícia, eu saberei. Eu também tenho acesso a seus computadores e endereços de e-mail.

Vá até a agência Western Union mais próxima e envie o valor para Emerson Eduardo Rodrigues Setim. O número do passaporte é FO645170. É um passaporte brasileiro. A cidade em que o dinheiro será retirado é Chicago, Illinois, EUA.

Faça o que eu digo e ninguém vai se machucar.

P.S.: Eu repito: que se você tentar entrar em contato com a polícia, eu saberei.

Isso fez Emerson começar a ter problemas com as autoridades estaduais e federais nos Estados Unidos, onde tentava reconstruir sua vida.

Psy depois de apanhar do antifa maluco

Após isso ter dado em feijoada, se reclusou no Dogola novamente para planejar seu próximo actvm sanctvm.

Em 26 de janeiro de 2018, Psy afirmou ter sido atacado, enquanto andava na rua com uma camiseta do Bolsonaro, por um antifa que teria inclusive usado uma seringa para injetar algo suspeito nele. O caso repercutiu no Dogolachan após Lola Aronovich twittar dizendo que Psy havia mentido. Alguns dias depois, um suposto telefonema de Emerson revelou que foi ele quem planejou o ataque, que visava retaliar as ameaças terroristas que Psy havia feito em nome dele.

2018-presente: Segunda prisão e condenação

Em 10 de maio de 2018, Psy foi preso de novo.[11] E sete meses depois, dia 19 de dezembro, foi condenado a 41 anos de prisão pelo juiz federal Marcos Josegrei da Silva,[12] o que muitos consideram sua derrota final.

Dados

  • Nome completo: Marcelo Valle Silveira Mello
  • Nascimento: 09/08/1985
  • Mãe: Rosita Moreira Valle
  • Naturalidade: Brasília - DF
  • Endereço (antigo): Campo Comprido, Curitiba - PR, 81220-190.

Galeria

Vídeos

Psy abordado pelos jornalistas do Profissão Repórter

Ameaças de bombas que ele fez em nome do Emerson

Referências

  1. https://internetsparaleigos.wordpress.com/2010/05/31/psyclon/
  2. https://internetsparaleigos.files.wordpress.com/2010/05/psytore-no-foro1.jpg
  3. Muito semelhante às acusações de envolvimento do Dogolachan com o Massacre de Suzano, que viriam a ocorrer oito anos depois.
  4. Operação Intolerância prende responsáveis pelo blog Silvio Koerich Polícia Federal, 22 de março de 2012.
  5. http://www.pf.gov.br/agencia/noticias/2012/marco/operacao-intolerancia-prende-responsaveis-pelo-blog-silvio-koerich201d/
  6. A imprensa brasileira não se interessa em acompanhar os processos judiciais dos criminosos presos (já que demoram) e acompanhar o andamento é irrelevante. Quando os criminosos voltam aos crimes, a imprensa que já esqueceu que publicaram nomes há anos. Isso não foi visto como os casos da Lava Jato ou até mesmo casos de assassinatos que geraram repercussão nacional.
  7. Grant Merrill. River Valley church, pawn shop targets of scam ‘bomb threat’
  8. Staff Report. State Police investigate bogus bomb threat to newspaper printing plant Sentinel, 29 de maio de 2017.
  9. Two fake bomb threats target Russellville business and church The Local Rundown
  10. 10,0 10,1 Police investigate bogus bomb threat to newspaper printing plant The Daily Independent, 29 de maio de 2017
  11. https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/pf-faz-operacao-contra-crimes-de-racismo-ameaca-e-incitacao-e-terrorismo-praticados-na-internet.ghtml
  12. https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2018/12/19/homem-e-condenado-a-41-anos-de-prisao-por-crimes-como-racismo-terrorismo-e-divulgacao-de-pedofilia-na-internet.ghtml