Pirataria

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa
Pessoa que pirateia, mas que, por não ser filhinho de papai com a vida garantida, não está preocupado com "compartilhar conhecimento de graça".

Pirataria é o ato de piratear, o que na internet significa violar direitos autorais. Como as tais leis encontram-se severamente desatualizadas, pode-se considerar que todo internauta é um pirata. Por exemplo, ao acessar o site da Globo, a fim de conseguir vê-lo na sua tela, seu computador faz uma cópia do conteúdo daquele site, e isto significa reprodução de material protegido por copyright sem autorização prévia expressa dos detentores do direito e muito menos sem pagamento acordado por contrato. Você e mais milhares de pessoas podem ser presas por causa disto, simplesmente.

A internet, de qualquer forma, tem por objetivo mesmo a pirataria. Afinal, para quê uma pessoa comum precisaria de acesso a todo o conhecimento do mundo? Ninguém quer saber disto! A internet é atrativa por ser para pornografia, e quando as pessoas cansam de se masturbar, vão assistir filmes, animes e seriados. Quando cansam, vão ouvir música. Quando cansam, vão jogar algum jogo crackeado. Quando cansam, inventam novos tipos de pirataria, como de armas 3D imprimíveis ou de conteúdo da Wikinet. E também, poucos são tão burros a ponto de pagar por algo que se pode pegar de graça...

O que não fazer

Lembre-se que sempre que você pirateia algo, quem se beneficia mais é o capitão pirata.

Piratear um filme é algo que não deve ser feito, por ser crime, e por isto abaixo encontram-se instruções de como permanecer sendo um cidadão respeitável, ficha limpa, para que você saiba precisamente e não cometa um crime sem querer, por desinformação.

Para não piratear um filme, não utilize a rede torrent, que é a melhor forma de download de filmes da atualidade. Portanto, não baixe um cliente (uTorrent, por exemplo) e não vá para The Pirate Bay buscar o filme pelo nome original, que pode ser descoberto pelo IMDb. Especialmente, não baixe o Peerblock para se proteger dos estúdios que eventualmente podem sondar sua conexão para levantar provas contra você. Pois bem, após não fazer isto, no site, não clique em baixar enquanto estiver com o cliente aberto, de forma que o download não se inicie. Após o término do download que não foi iniciado, não envie o filme para outras pessoas ao menos até uma taxa de 100%, de forma que a rede não se mantenha existindo. Não baixe legendas em português pelo legendas.tv, por exemplo, e não coloque a legenda na mesma pasta em que está o filme que não foi baixado. Não use o VLC Player, o media player perfeito, para reproduzir o filme que não foi baixado. E pronto, não violar a lei é tão simples quanto isto!

O que fazer

Você deve estar se perguntando, se eu não posso desfrutar das coisas pela Internet ou comprando aquele DVD pirata de R$5,00, então, como diabos vou fazer para assistir filmes/jogar games/escutar música legalmente? Primeiramente, ninguém dá uma foda para isso, mas se você dá, seguem as dicas:

Filmes e seriados estão limitados a cinema e televisão (se for TV aberta, terá de assistir dublado na sessão da tarde), música você pode ouvir no rádio (que só toca sertanejo hoje em dia) ou ver o clipe original do VEVO no YouTube com mais anúncios que a página de um milhão de dólares.

Se você quer assistir um filme ou seriado em particular, aí complicou a porra toda. Você terá de verificar se o filme/seriado saiu em DVD ou Blu-Ray e então comprar para poder assistir. O que fode é que alguns filmes e seriados em específico são difíceis pra caralho de se encontrar, ainda mais com a disponibilidade limitada do Brasil, falando desse país maravilhoso, o custo de um box contendo todas as temporadas de um seriado é um absurdo, porque assim como todo produto, tem uma caralhada de imposto em cima. Às vezes sai uma promoção relâmpago no Submarino, mas porra, pra que tentar caçar promoção se você pode simplesmente baixar essa merda e assistir? Além disso, quem é burro de comprar o box inteiro, sendo que no terceiro episódio você pode achar que o seriado é uma merda e dropar, desperdiçando assim o dinheiro que poderia ser usado para contratar uma puta? Ou seja, box de seriados são totalmente fail porque só quem compra são colecionadores, que já assistiram a série pirateada e gostaram tanto que querem expor os DVDs em sua estante para todo mundo saber que eles gostam da série.

Se você quiser ouvir músicas, em teoria, você deveria comprar o CD ou disco de vinil, mas ninguém, literalmente ninguém mais faz isso.

Video games então, piorou, os consoles mais antigos nem existiam lojas vendendo jogos originais, era tudo pirata. Os BRs começaram a comprar jogos originais somente a partir da geração do Xbox 360, e ainda tinha muita gente pirateando essas merdas. Hoje em dia, ninguém mais pirateia console, porque ninguém mais joga console, agora é só PC Master Race, onde é bem mais fácil de se piratear (até o sistema operacional é pirateado).

Mas agora, com o advento da Internet, se tornando tão popular e praticamente algo essencial nos dias atuais, as grandes corporações estão vendo que a pirataria prejudica bastante seus negócios (na verdade, nem tanto, os filhos da puta já são ricos mesmo, ninguém dá uma foda), e estão arrumando maneiras legais de oferecer produtos protegidos por direitos atuais de uma forma mais prática, com serviços de fácil acesso e grande disponibilidade, mas que ainda tem que pagar, coisa que ninguém quer, nem que seja 10 centavos.

Para filmes, seriados, desenhos animados, etc, existe o Netflix (e outras merdas como Hulu, que nem está disponível no Brasil, então foda-se), onde você paga uma inscrição mensal e tem acesso a uma vasta biblioteca de filmes e seriados... Exceto que não, e muitos filmes que não tem no Netflix farão você ir atrás para assistir da forma antiga, fazendo do Netflix uma ferramenta inútil. Mas ainda assim, se você quiser assistir alguns filmes e seriados com a consciência limpa, vai no Netflix! Se você for weeaboo, existe o Crunchyroll.

Para músicas, existe o Spotify. O legal desse serviço é que é de graça, só que a cada duas músicas você tem que ouvir uma propaganda, ou seja, é que nem ouvir rádio! Diferente do Netflix, a biblioteca do Spotify tem uma caralhada de coisas, mas se você for hipster hardcore, é capaz de não encontrar porra nenhuma lá. Também há serviços como o iTunes e o Google Play que vendem músicas, mas você é limitado a ouvir essas merdas no serviço deles, o que é uma bosta, baixando o MP3 na Internet (ou baixando o áudio de um vídeo do YouTube através desse site) você pode escutar a música em qualquer merda que toque MP3.

Para vidya, existe a Steam. Na questão de games, no Brasil, esse se supera pra caralho na taxa de imposto, puta merda, o preço só não é mais absurdo que o de carros. Isso acontece porque games (mídia física) são considerados jogos de azar, e tem uma taxa de imposto alta pra caralho, mas games na Steam são tratados como software, e o imposto não é tão caro. Assim como músicas, você paga pra baixar um jogo, ou seja, não é tão diferente do The Pirate Bay, você só não corre o risco de instalar uma porrada de vírus no seu computador.[1] Também tem outros serviços de empresas que não quiseram fazer parceria com a Valve para evitar dela dominar o mundo, como o Origin da EA e o Uplay da Ubishit. O Uplay, em particular, é insuportável, pois você pode comprar jogos da Ubisoft na Steam, mas é obrigado a instalar e abrir essa merda de Uplay quando quiser jogar. Só não é mais chato que o Games for Windows Live, esse sim se superou de tal forma que a Microsoft decidiu terminar com o serviço. Graças adeus a Microsoft abortou essa abominação deles.

Salsa

  1. Como se vírus fosse uma realidade.