Paulo Leitão

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa
Paulo Leitão em 1988
Paulo Leitão com a banda Auschwitz

Paulo Leitão de Gregório (Natal, 22 de maio de 1973) é um ex-pastor protestante, convertido ao catolicismo, catequista e apologista, estudioso da Bíblia, empenhado na defesa bíblica da fé católica, autor dos livros "Um filho em defesa da Mãe - O que um ex-pastor protestante descobriu sobre a Virgem Maria na Bíblia" e "Salve Roma! A Igreja que Deus fundou", publicados pela Editora Martyria. Apresentador do programa "Em defesa da Fé", no canal Século 21 (TV Potiguar). Ou seja, é um fundamentalista católico ultraconservador.

Paulo Leitão bombadão

Paulo Leitão é educador físico, personal trainer e músico, ex-vocalista e ex-guitarrista da extinta banda de thrash metal Auschwitz, formada em 1988 em Natal, no Rio Grande do Norte, que durou até 1993.

Paulo Leitão gravou o disco Latinidade e Revolução, com temas autorais mesclados com canções de Violeta Parra (Volver a lós 17), Carlos Saura (¡Ay Carmela!) e Carlos Puebla (Hasta Siempre, Comandante). Ou seja, virou petista e comunista.

Em 2010 Paulo Leitão morou na Galileia. Na volta ao Brasil, viajou pelo interior da Região Nordeste para revelar conhecimentos do Evangelho. A volúpia, a luxúria e a ostentação deram vez à caridade e a benevolência.

Paulo Leitão é conhecido na internet por odiar os judeus. Basicamente ele usa a desculpa da religião para atacar os judeus e os sionistas (preconceito religioso).

O programa "Paulo Leitão em defesa da Fé", que foi ao ar dia 6 de maio de 2014, teve como tema a marca da besta e as perseguições judaicas. Segundo Paulo Leitão, a heresia sionista da perpetuação da lei mosaica é uma tentativa de ruptura que agride um grande núcleo da fé católica, o Sacrifício Eucarístico. Segundo Paulo Leitão, os sionistas creem que o povo de Israel continua a fazer parte do povo escolhido de Deus.

Paulo Leitão na academia

Hoje Paulo Leitão é um bombado de academia.

Crime[editar]

Policiais civis da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Natal divulgaram a autuação do personal trainer conhecido por Paulo Leitão de Gregório suspeito de fazer apologia contra o isolamento social na capital potiguar.[1]

De acordo com investigações, ele teria publicado em seu perfil, em uma rede social, um vídeo no qual incentivava as pessoas a infringirem uma determinação do Poder Público destinada a evitar a propagação da Covid-19.

O homem foi intimado a comparecer à delegacia, onde foi lavrado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e, em seguida, liberado.

Paulo Leitão ainda não foi preso por antissemitismo, mas vai responder processo por apologia contra o isolamento social.

Ver também[editar]

Salsa