Pardo

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa

Pardos (aka mulato) foram criados graças aos malditos coronéis do Brasil, que em vez de matar todos os negros e poupar o Brasil de uma desgraça maior, preferiram deixá-los vivos e então a negrada começou a comer as filhinhas dos branquelos. A partir disso, a merda começou. Pardos originalmente possuem a inteligência do branco, mas, pelo azar do destino, possuem a mesma tendência dos negros de fazer merda. Sendo assim, a chance de encontrar um pardo que preste é de 25% no norte do país e 50% no resto.

Pardos dominam o Brasil, sendo considerados baratas (tem em todo lugar). A maioria dos presidentes brasileiros foram pardos (isso explica a merda toda). Pardos têm uma extrema facilidade em ser amigo de todo mundo e por isso o Brasil é considerado uma nação hospitaleira, porque BRANCO QUER FODER TODO MUNDO e NEGRO QUER COMER TODO MUNDO.

Características físicas[editar]

Primeiro de tudo, o motivo pelo qual brancos e negros crucificam os pardos é porque não conseguem aceitar que existem dois tipos: pardo claro e pardo escuro.

Pardo claro, que é o mais perto do branco, tem uma extrema tendência à área de exatas e a ser um nerd falho, porém, graças ao gene Macacus doidus dos negros, conseguem ser facilmente sociais e acabam profitando as vadias bem mais facilmente que os brancos, porque branco é bom para criar guerra, mas para pegar mulher só pagando. E caso dois pardos claros se juntarem, o filho deles será branco na maioria das vezes; não me pergunte como porque não sou professor de biologia.

Pardo escuro é uma desgraça. Só tem a vantagem de não ser negro. Raspam o cabelo dizendo que é moicano mas na verdade parece manga chupada, usam o cabelo do Neymar dizendo que é para pegar as minas, mas na verdade só pegam as vadias pretas que têm o grelo maior que o pinto do Kid Bengala. Não conseguem fazer um cálculo matemático que preste e ainda por cima andam no ônibus com celular no máximo tocando funk ou forró. E, por ironia do destino, o pênis deles só chega até 14cm no máximo. Tá vendo como negros não servem nem para passar genes?

Ver também[editar]