Este artigo é um esboço. Clique aqui para mais informações.

Mayara Petruso

De Wikinet
Ir para navegação Ir para pesquisar
Mayara Petruso

Mayara Petruso (n. 1989) é uma ex-estudante de Direito que ficou conhecida no Brasil por ofender nordestinos através do Twitter e do Facebook em 31 de outubro de 2010, em que sugeriu ao pessoal de São Paulo matar nordestinos afogados por terem elegido Dilma Rousseff à presidência.

Depois de ter seu rosto, nome e perfil expostos publicamente à TV (na época menos de 40% da população brasileira tinha acesso à internet), Mayara Petruso passou a ser alvo de ameaças de morte por internautas, o que fez com que ela fosse repudiada pela internet inteira (na época não havia o termo "linchamento virtual"), obrigando-a a excluir todos os seus perfis das redes sociais (ela não tinha Orkut, na época a mais popular).

No entanto, apenas alguns usuários malucos (na época não havia o termo "jorge") como o grupo Soberanos da Revolução ficaram do lado dela, o que fez com que o grupo fosse alvo de ira dos internautas.

Desde que sumiu da internet após seu linchamento virtual, Mayara Petruso perdeu todos os amigos, foi obrigada a abandonar seus estudos e se mudar da cidade de São Paulo para o interior do Estado, onde mora sua família. Desde então, ela ficou depressiva e passou a ser reclusa para evitar assédio.

Em 2013, Mayara Petruso voltou às manchetes nacionais após ter sido condenada pela Justiça.[1]

Apesar de especulações de que Mayara Petruso esteja no interior de São Paulo, hoje ninguém sabe ao certo o paradeiro atual dela. No entanto, o tempo passou e uma coisa ela acertou: as declarações à eleição da Dilma Rousseff em 2010 se tornaram realidade em cinco anos.

Salsa

Casos semelhantes[editar]