Mary Kay Letourneau

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa
Mary Kay Letourneau.jpg

Mary Katherine Letourneau (anteriormente Mary Katherine Schmitz, 30 de janeiro de 1962 - 6 de julho de 2020) foi a protagonista de um caso curioso nos EUA. Mary foi uma professora presa por ter feito sexo com um adolescente de 12 a 13 anos em 1997; porém, após sair da prisão, a vítima se reaproximou dela por iniciativa própria e os dois acabaram se casando em 2005.

Caso[editar]

Mary foi condenada em 1997 por duas acusações de sexo fora da idade do consentimento com Vili Fualaau, que tinha 12 ou 13 anos na época e tinha sido seu aluno da sexta série. Enquanto aguardava a sentença, ela deu à luz à filha de Fualaau. Com o estado buscando uma sentença de seis anos e meio de prisão, ela chegou a um acordo judicial que reduziu sua pena a apenas seis meses (com três meses suspensos) desde que ela não tivesse nenhum contato com Fualaau pelo resto da vida, entre outros termos. O caso repercutiu nos Estados Unidos.

Pouco depois de passar apenas três meses na prisão, Mary foi presa novamente após ser flagrada em um carro com Fualaau. Um juiz revogou seu acordo judicial e restabeleceu a sentença de prisão ao máximo permitido por lei de sete anos e meio. Oito meses após retornar à prisão, ela deu à luz à segunda filha de Fualaau. Em 1999, o marido de Mary pediu divórcio, entrou na Justiça pela guarda dos filhos e ganhou. Ele então se mudou com seus filhos para um endereço não divulgado e os filhos dela nunca mais viram a mãe desde então. Ela esteve presa de 1998 a 2004; quando foi solta, Fualaau, já de maior, entrou na justiça para anular a proibição de se encontrar com ela, o que foi concedido. Fualaau e Mary e se casaram em maio de 2005. O casamento durou 14 anos até a tumultuada separação em 2019.

Mary morreu de câncer colorretal em 6 de julho de 2020, doença que tratava desde o final de 2019, quando foi diagnosticada.