Marion Kaplan

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa
Não cabe a nós julgar... Na verdade, cabe sim: feia pra caralho

Marion Kaplan é uma das mais de 8000 pessoas que compõem o Conselho Deliberativo do Clube de Regatas do Flamengo,[1][2] o que é até engraçado considerando que depósito não entende nada de futebol. Com cargo de tamanha magnitude, Marion Kaplan realmente acha que sua opinião importa, e decidiu se colocar contra o eSports promovido pelo Flamengo. Kaplan deve ter lido vários artigos da Wikinet, pois chamou os jogadores de "nerds autistas", "nerd da pior espécie" e falou que eSport não pode ser considerado esporte de verdade.[3]

Você pode falar o que quiser sobre o país de um cara, sobre sua aparência física, sobre sua família e sobre o seu documento, mas JAMAIS xingue seus joguinhos. É claro que a shitstorm gerada pela repercussão do que Kaplan disse tomou proporções épicas na comunidade gaymer. É provável que Marion Kaplan tenha falado mal de eSport por causa da ownada cometida contra a liga feminina de LoL, caso que aconteceu pouco tempo antes dessa notícia.[4] Mesmo sofrendo hate universal por suas afirmações, Kaplan se recusou a retirar o que disse, mas "pelo menos" se desculpou com os autistas - o que mostra o quão sem graça ela é, pois se tem um câncer na humanidade, são os autistas.[5] Mas ela merece créditos por não ser hipócrita e manter seus ideias HAHAHA ESQUECE, EU CHUPO PINTOS.[6]

Uma das justificativas pelo hate proferido contra eSports por Kaplan era porque, segundo ela, o Flamengo estava dando mais atenção a isso do que ao futebol feminino. É fato que literalmente ninguém se importa com a liga feminina de qualquer coisa,[7] a não ser o vôlei de praia feminino, por razões óbvias. Mas óbvio que Kaplan é apenas uma feminazi sensacionalista que aproveitou o ibope que o eSport estava tendo no Flamengo para promover suas ideias de merda - ou melhor, para parecer que está fazendo alguma coisa com sua posição de conselheira do clube. Mas ela está certa, afinal, a conta do Twitter cujo nome é "Flamengo eSports" deveria divulgar o futebol feminino.

O Flamengo defendeu o direito da conselheira de dizer merda, mas não compactou com o que ela disse - afinal de contas, foram eles que investiram em eSports.[2] Vamos tentar entender o que realmente faz um sócio/conselheiro de um clube de futebol. Suas funções são, basicamente, nada. Eles não são importantes, ninguém se importa com eles e é simplesmente uma posição que se compra.[8]

Os prints antes de acidentalmente sua conta do Twitter

Referências

  1. Algo que a não ser que você seja "torcedor" do time, não importa nada.
  2. 2,0 2,1 Flamengo diz que não compactua com as ideias da conselheira, mas que não vai fazer nada sobre o que ela disse pois respeita a "muh freedom of speech".
  3. Mario Kaplan xinga eSportistas, fazendo com que vários "profissionais" do ramo respondam butthurt.
  4. JOGADORES DE LOL SÃO MACHISTAS PRECONCEITUOSOS E MERECEM MORRER!1
  5. Kaplan pede desculpas aos autistas, e aproveitou para promover mais hate contra os eSports.
  6. Kaplan não aguentou o hate e acabou por desligar seu Twitter.
  7. Nem mesmo as mulheres.
  8. O regulamento do Flamengo quanto a seus conselheiros é uma série de editais que ninguém tem paciência para ler, então fique com a página do clube do Santos que dá uma resumida no assunto.