Marcia Friggi

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa
Marcia Friggi depois de ser agredida

Marcia Friggi é uma ex-professora brasileira que ficou conhecida nacionalmente em 21 de agosto de 2017 após levar um soco no olho direito de um aluno de 15 anos (menor, como sempre). A internet se solidarizou com ela no começo, mas, ao vasculharem seu perfil e descobrirem sua posição política de esquerda e sua defesa de agressões contra direitistas, passou a ser linchada virtualmente.

Fato[editar]

Em 21 de agosto de 2017, horas após a notícia de sua agressão ser publicada no seu perfil do Facebook, a grande mídia fez um grande estardalhaço pelo fato da educação no Brasil ser uma m... mesmo sabendo que o problema existe há muito tempo, o que induz os seus inocentes leitores a acreditarem nesta história. No começo, a internet ficou chocada com o ocorrido e, independente da opinião política, pessoas exploraram o caso e repudiaram a violência do aluno contra a professora.

No entanto, na noite de 22 de agosto, uma reviravolta aconteceu. Descobriram, em suas postagens, que ela era esquerdista e também hipócrita, pois defendia agressões contra certos políticos de direita. No Facebook, Marcia Friggi:

  • defendia o Partido dos Trabalhadores (em especial os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff) que naufragou o Brasil na pior recessão econômica em um século;
  • repudiava o então governo de Michel Temer (que foi poupado de ser cassado por três vezes e que manteve alguns aspectos petistas até o final);
  • elogiou a jovem que atirou um ovo no então deputado federal Jair Bolsonaro (PSD-RJ) e associou falsamente o parlamentar ao neonazismo;
  • pedia "ovadas" em João DóriaWikipedia's W.svg (PSDB), então prefeito da cidade de São Paulo, apesar dela não morar em São Paulo;
  • além de defender figuras questionáveis como
    • Eleonora MenicucciWikipedia's W.svg (ex-ministra de Dilma Rousseff que defendia o aborto e as jogices feministas),
    • Karl MarxWikipedia's W.svg (escritor alemão que formulou teorias contra o capitalismo posteriormente chamadas de "comunismo" e "socialismo" e que fracassaram no século XX) e
    • Paulo FreireWikipedia's W.svg (o patrono do fracasso na educação brasileira).[1][2][3][4]

Por conta disso, pessoas de direita, as mesmas que haviam se solidarizado anteriormente, começaram a lhe mandar duras mensagens de críticas e até de ódio. Disseram, entre outras cosias, que ela mereceu esse soco por sua hipocrisia, pois defendia violência contra quem não dá amém à esquerda e ironicamente foi vítima da agressão.

Por causa da enxurrada de críticas e até ofensas pessoais em seu perfil no Facebook, foi obrigada excluir sua conta e desaparecer na internet por um bom tempo. Voltou apenas após a poeira baixar em meados de 2019.

Salsa

  1. Gabriel de Arruda Castro. Professora agredida em sala é hostilizada por opiniões políticas Gazeta do Povo, 22 de agosto de 2017, 11:20
  2. Marco Toledo. Ironia: Professora agredida defendeu violência contra Bolsonaro Exata News, 22 de agosto de 2017, 11hs
  3. PROFESSORA QUE ELOGIOU GAROTA QUE DEU OVADA EM BOLSONARO É AGREDIDA POR ALUNO MENOR DE IDADE EM SALA DE AULA Machadinho Online, 22 de agosto de 2017
  4. Professora agredida por aluno apoiava agressoes a Jair Bolsonaro Boletim da Liberdade, 24 de agosto de 2017

Links externos[editar]