Este artigo é um esboço. Clique aqui para mais informações.

Luciano Ayan

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa

Luciano Ayan (Powerword: Carlos Augusto de Moraes Afonso), também conhecido como Luciano Henrique Ayan e suspeito de comandar dezenas de outros sock puppets, é um antigo troll do Orkut e mentiroso compulsivo, que era dono do blog http://neoateismodelirio.wordpress.com, depois migrado para http://lucianoayan.com/ e depois para http://www.ceticismopolitico.com, registrados em nome de terceiros ou com proteção de Whois. Ele era conhecido por mudar de posicionamento o tempo todo, visando sempre irritar o máximo de gente possível.

Ficou famoso nacionalmente em 2018, após ter a sua identidade real revelada por Olavistas e ser acusado de disseminar fake news contra a Marielle Franco, o que ocasionou o seu banimento do cancrobook.[1][2][3] Como bom picareta que é, ele se defende dizendo que é ele que é alvo de mentiras e acusa os outros daquilo que ele faz. Luciano percebeu que falar sobre religião e ateísmo tinha saído de moda, então resolveu entrar na onda iniciada por Trump de adotar trolls para fazer guerrinha de memes políticos com a egrégora de Kek. Descolou um bico no MBL, os únicos otários o bastante para a levá-lo a sério, e virou o mentor intelectual do Gabinete da Peppa, tendo criado para Joice Hasselmann o slideshow que deu origem ao mito do Gabinete do Ódio e o Inquérito inconstitucional das fake news, que vai resultar em leis de censura para todo mundo, inclusive os aliados dele. Gênio.

Luciano foi preso em 10 de julho de 2020, dia da pizza sem pizza, por lavagem de dinheiro (e não por fake news). Depois disso, o MBL & Cia. entraram em desespero e juraram que não tinham nenhuma ligação com Luciano, deletando qualquer prova para controlar danos. Mas mesmo assim, mandaram um advogado do MBL para defendê-lo. A polícia fez uma descoberta inusitada: Luciano Ayan curtia uma plantação da ervinha verdinha (maconha).

Curiosidades[editar]

  • Passou mais de 10 anos prometendo lançar um livro. Depois de arrecadar fundos no Kickante (quem diabos doou esse dinheiro?), o livro foi supostamente lançado com mais 3 anos de atraso. O editor do livro também parece ser um fake dele mesmo.
  • Existe uma entrevista dele com Emerson Eduardo Rodrigues Setim, a qual ele já deletou após receber uma enxurrada de críticas e denúncias do passado do entrevistador. Ela pode ser lida no blog de Emerson.

Galeria[editar]

Salsa

Links[editar]