João Gordo

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa
João Gordo
João Gordo.png
João Gordo em janeiro de 2020
Nome realJoão Francisco Benedan
ApelidosJoão Gordo
Gordo
Nascimento13/03/1964 (56 anos)
São Paulo
Ocupaçãomúsico, repórter
Logo do YouTube transparente.png CanalPanelaço
Logo do YouTube transparente.png Nº de inscritos283 mil
ResidênciaSão Paulo

João Francisco Benedan, nome artístico de João Gordo (São Paulo, 13 de março de 1964), é um músico, repórter e cantor brasileiro. É integrante da banda Ratos de PorãoWikipedia's W.svg e foi apresentador da MTV Brasil e da Rede Record.

Origens e fama de "traidor do movimento"[editar]

João entrou para a banda Ratos de Porão em 1983 e o seu primeiro show com a banda foi na PUC de São Paulo em julho. No mesmo ano, em entrevista ao fanzine Lixo Cultural, diz que sua banda não era mais punk e sim hardcore. Ele explica o motivo:

Em 1983, época do hardcore europeu e americano, eu estava ouvindo coisas tipo Rystetiit, Discharge, Dead Kennedys, Rattus, Minor Threat, Disorder. Não tinha internet, e as coisas demoravam para chegar, mas a gente tinha contato com o pessoal de fora, via carta, e estava ligado no que estava rolando. Enquanto a gente ouvia hardcore, a maioria dos punks daqui [do Brasil] só ouvia Sex Pistols, Exploited, Clash, Ramones, as bandas [do ano] “77”. Daí eu disse que o Ratos não era punk, era hardcore, e o bicho pegou.

Foi aí que começou a lenda de que o "João Gordo traiu o movimento punk" e as variedades encurtadas como "traição do movimento" ou "traiu o movimento". Desde então, foi ameaçado de morte e agredido, o que agravou com a chegada aos cinemas paulistas do filme Warriors: Os Selvagens da Noite:

A cena punk em São Paulo era dividida por bairros, cada um tinha sua gangue. Quem viu o Botinada [documentário de Gastão Moreira sobre a cena punk paulistana] sabe. Eu era da zona norte. Passei a andar com a chamada Turma da Carolina. Depois, a coisa ficou ainda pior quando o Ratos começou a tocar metal.

[1]

O uso da frase "traiu o movimento", tanto pro "traição" ou "traidor(a)" começou ser usado em 2019 e com maior intensidade em 2020, mas não para João Gordo, e sim em meios políticos pelos direitistas em referência aos verdadeiros "traidores da direita". É usada para quem dizia ser contra qualquer tipo de esquerda e ter apoiado Jair Bolsonaro em 2018 ou anos anteriores (especificamente depois das eleições de 2014) e que depois passou criticá-lo, usando a seguinte frase: "o fulano de tal traiu o movimento" ou "o fulano de tal é um(a) traidor(a)".

Outros acontecimentos[editar]

Em 31 de janeiro de 2000, João sofreu um derrame pleural, passando 22 dias internado numa UTI (até então, fumava três maços de cigarro por dia). Depois do incidente que o quase matou e sair do hospital, abandonou o vício imediatamente. Em 23 de dezembro de 2003, sofreu disritmia no coração e ficou cinco dias internado (também numa UTI) e passou por cirurgia de redução do estômago (até então, ostentava barriga enorme, o que faz jus a seu nome artístico). Depois do novo incidente, passou a controlar seu peso que o fez perder dezenas de quilos desde então, tornando-se então ovolactovegetariano. Foi na época que conheceu e começou namorar a jornalista argentina Viviana Torrico.

Em novembro de 2003, protagonizou o episódio mais famoso do programa Gordo a Go-GoWikipedia's W.svg, em que trocou insultos e empurrões com o cantor Dado DolabellaWikipedia's W.svg, além de danificar o cenário do programa. Um dos insultos usados por Dolabella foi falar que ele "traiu o movimento punk". O incidente não foi ao ar na MTV na época. Em 2006, cerca de dois anos e meio depois, as imagens foram divulgadas sem corte e sem censura no MTV Overdrive, canal de vídeos da emissora.

Em 2004, casou-se com a jornalista argentina Viviana Torrico, já grávida dele. Em abril do mesmo ano nasceu a sua primeira filha, Victoria. Em setembro de 2005, Viviana deu à luz ao segundo filho do apresentador, Pietro.

Em 2007, João Gordo participou do álbum Ritmo, Ritual e Responsa da banda Charlie Brown Jr.Wikipedia's W.svg, cantando ao lado do vocalista ChorãoWikipedia's W.svg a música "Vida de Magnata".

Em 2011, João teve participação na faixa "Extinção em Massa" do álbum The Great Execution da banda brasileira de death metal Krisiun.

Em 2016, assinou contrato com o Canal Brasil e iniciou um programa de entrevistas Eletrogordo em 29 de agosto de 2016, à meia-noite. Também lançou uma biografia, Viva La Vida Tosca, escrita por André Barcinski. Atualmente comanda um programa culinário no YouTube, Panelaço e um programa de rádio, Tiki Nervioso, ao lado do músico Marinho (ex-Pavilhão 9) pela 89 FM a Rádio Rock.

Vídeos[editar]

Famosa treta com Dado Dolabella

João Gordo entrevistado por Rafinha Bastos

Salsa

  1. ANDRÉ BARCINSKI. De pioneiro do punk a ídolo da garotada, João Gordo explica como consegue se reinventar 18 de julho de 2013, 17H05 (ATUALIZADO EM 7 de agosto de 2013, 09H57)