Holanda

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa
  • É um país da Europa;
  • No passado invadiu o Brasil;
  • Terra das flores e dos moinhos de vento;
  • Tirou o Brasil da copa de 2010;
  • Na final da copa, perdeu para a Espanha;
  • Seu idioma é o holandês.

Holanda, que deveria se chamar Nederlândia, mas tem babacas que resolvem chamar aquela porra de Países Baixos, talvez porque seja uma expressão que associa o país à baixaria, ou às partes baixas do corpo (caralho, buceta e cu), mas foda-se que este lead paragraph já está ficando TL;DR e deixando de cumprir a função de um lead paragraph, que é, porra, vai lá e lê o artigo sobre lead paragraph.

O que era mesmo que eu estava falando? Sei lá, esqueci. Deve ser porque a Holanda é um dos países onde a maconha foi liberada, e sabemos que a maconha só tem dois efeitos ruins: um deles é causar a perda de memória e o outro é alguma porra que eu esqueci.

>Para de desviar do assunto. E a Holanda?

Holanda, a rigor, é apenas uma região que era mais foda que as outras, e acabou unificando e conquistando aquela porra toda, lá por volta de 1581,[1] então, por metonímia chama-se o país pelo nome da província. É a mesma merda que, no século XX, quem não era comunista chamava a União Soviética de Rússia e os soviéticos de russos, apesar de a maioria dos caras foda de lá não serem russos, como Stalin, que era da Geórgia. E não confundir a Geórgia, um país de merda que fica nos Montes Urais, com a Geórgia, um estado de merda dos Estados Unidos.

>Porra, o que tem Geórgia a ver com a Holanda?

Vê se no time de 1974 eles faziam merda assim? Também, naquela época não tinha pardo na seleção deles.

Mas o uso consagrou o nome Holanda para o país, então todo mundo vai falar sobre as Invasões Holandesas e não sobre as Invasões Paisesbaixezas ou alguma outra merda parecida. E a seleção de futebol é a seleção holandesa e não a seleção paisbaixeza. Aliás, que decepção para quem assistiu à Copa do Mundo de 1974, viu a Laranja Mecânica praticar um belo futebol, ver a merda que aquela seleção se transformou na Copa do Mundo de 2010, um bando de bundões que só sabia enfiar porrada desleal, e que produziu uma das finais mais medíocres de toda a história do futebol, porque os dois timecos só sabiam dar porrada um no outro em vez de jogar bola.

>Esquece o futebol. A Holanda não é só isso.

Doutzen Kroes, uma das coisas boas que a Holanda produziu.

Tá, então vamos ver o que tem lá. Antigamente, os caras eram conhecidos pelas Companhias, um eufemismo para um bando de piratas filhos da puta que saíam pelo mundo conquistando portos, matando os homens, estuprando as mulheres e escravizando as crianças.[2][3] Outro grande feito da Holanda de antigamente foi inventar a especulação financeira, e de uma forma bem gay: na década de 1630, os caras passaram a especular loucamente com o preço das tulipas, um monte de gente fez dinheiro a partir do nada, e, quando a bolha estourou, teve gente que teve que vender até a alma para pagar as dívidas.[4][5]

Depois, no início do século XX, o país foi conhecido como a terra dos moinhos, porque o grande feito de engenharia do século XIX foi que eles resolveram, depois de levar muito no cu em guerras com os vizinhos, que o meio mais seguro de expandir o território seria invadir alguém que não pudesse retaliar, ou seja, eles passaram a aterrar partes do mar. Assim, um quinto do atual território da Holanda são porras que estão abaixo do nível do mar, e se não fosse por causa dos diques inundava tudo.[6] Aliás, sobre isso tem uma piada ótima, mas só pode ser contada em inglês:

What is the similitude between the dutch kid hero and a lesbian?

—Piada em inglês

Outra porra que fez a Holanda famosa foram as vacas holandeses, e não estamos aqui falando de vadias gordas, mas de vacas mesmo, gado bovino, e que eles usavam para o leite, e para fazer chocolate.

>Tá, porra, qual é resposta da piada?

Espera.

Já no final do século XX, a Holanda passou a ser conhecida por outra porra. Os caras resolveram fazer uma experiência, pegar tudo que os babacas proibiram nos outros países, como drogas, prostituição, pedofilia, aborto, eutanásia, e outros lulz que agora não me lembro, e fizeram tudo ser legal. A ideia era que, como estas atividades eram controladas por criminosos, torná-las legais iria diminuir o crime. A lógica até faz sentido, foi por causa da proibição do consumo de bebidas alcoólicas que os Estados Unidos se fuderam legal, com o crescimento da máfia italiana, no início do século XX.[7]

Clubseventeen foi um dos casos de sucesso da Holanda. E esta imagem também ilustra outro evento citado neste artigo.

Algumas coisas deram muito certo, por exemplo, na legalização da pornografia com underages. A Holanda produziu obras artísticas de grande qualidade, como a revista Seventeen que, apesar do nome (seventeen = 17), também tinha depósitos de 16 anos além das de 17 posando peladas, fazendo lesbianismo ou levando pau na buceta. Infelizmente, a partir dos anos 1990, eles tiveram que se submeter à tirania da União Europeia, e agora esta revista só tem depósitos com 18 anos ou mais, mas com aparência de meninas.

A legalização da eutanásia é uma questão que precisa ser avaliada, porque falta receber o feedback de quem aceitou esta opção e ainda não respondeu aos formulários sobre se gostou ou não da experiência.[8]

Já outras deram muito errado, como no caso da legalização das drogas. O problema não é que os holandeses passaram a ficar mais doidões com isto, pelo contrário, ninguém sabe se a legalização fez o consumo aumentar ou diminuir.[9] O problema é que os doidões de toda Europa, ou mesmo de outros países como o Brasil ou Estados Unidos, passaram a ir à Holanda para fazer o turismo drogado.[10]

>Tá, porra, tá muito chato, tá parecendo artigo da Wikipédia em português!

Então, para concluir, vamos dar a resposta à charada.

Both have put their fingers in a dike's hole

—Piada em inglês

>Não entendi porra nenhuma.

Claro, seu idiota, você não sabe inglês. Dike é o dique, e é uma alusão à história do menino herói que salvou a Holanda porque ele viu um buraco no dique, tapou o buraco com o dedo, e ficou lá a noite toda, tremendo de frio, e morreu na manhã seguinte.[11] Dike também é uma gíria americana para lésbica, então a graça da piada é que tanto o garoto quanto a lésbica ficam com o dedo no buraco do/a dike.

>Que piada mais sem graça. É só pretexto para botar mais uma imagem de lesbian porn, não é?

É.

Salsa

Ver também[editar]