HTML5

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa

Dizem que, na Informática, quase toda nova linguagem, protocolo ou formato de arquivo segue a mesma história: um cara tem uma ideia genial, inventa e descreve o que quer, e bota uma versão funcionando (a versão 1). A porra faz sucesso, um monte de gente que não tem mais nada para fazer fica dando palpites, e o mundo resolve então melhorar e padronizar. Cria-se um comitê, reúnem-se os especialistas, fazem-se várias reuniões, discute-se pra caralho, geram-se mais de 8000 relatórios, e produz-se um documento oficial com as especificações (a versão 2). Esta versão 2 é sempre uma merda. Então o pessoal volta ao cara que fez a versão 1, pede para ele ver o que deu errado. Então o cara joga no lixo a versão 2, pega as ideias que não eram idiotas e cria a versão 3, e esta, finalmente, pode ser considerada uma versão boa. Mas como o mundo não para, depois da 3 vem a 4, 5, 6...

Com o HTML foi a mesma coisa. Tim Berners-Lee ficou punhetando o HTML entre 1980 até que publicou, em 1991, a versão 1. O HTML2 foi publicado em 1995 e era uma merda, e rapidamente o substituíram pelo HTML3. O HTML4, lançado em 1997, praticamente junto do HTML3, era apenas um afrescalhamento do HTML3.

O que faltava era uma porra que permitisse, de forma fácil, a composição de gráficos e a exibição de música e vídeo que, até o HTML4, eram uma merda.

Daí que o pessoal sentou a bunda e botou a cabeça para funcionar e, para que a porra não fosse uma merda como a versão 2, levaram quase 20 anos para chegar ao HTML5.[1]

O grande tchan do HTML5 é que, além das tags antigas do HTML que permitiam ilustrar uma página com putaria estática [2] agora também dá para inserir sons de gente se fudendo (<audio>), vídeos de sexo (<video>)[3] e gráficos de putaria animada gerados na hora, através de Javascript (<canvas>).

Claro que tudo isto já existia antes, bastava inserir Flash em uma página. Mas Flash é uma merda e, ainda pior que isto, é uma porra que pertence a uma empresa ganananciosa, a Adobe, [4] então é melhor enterrar Flash de vez e mandar a Adobe se foder.

Como é óbvio como funciona audio e video, e aqui não é mérito nenhum do HTML5 ter introduzido estas tags, elas já deviam estar desde 1991, só não estavam porque o TimBL não conseguiu pensar em tudo, o que realmente faz HTML5 não ser mais um HTML4 com viadagem é o tal canvas, então vamos tentar explicar que porra é esta.

Canvas é uma merda.

O problema é que era para ser uma porra simples, ou seja, se a ideia é gerar gráficos e animações de forma dinâmica, devia ser algo que qualquer idiota pudesse editar. Mas não é, para começar a criar um canvas o cara tem que enfiar pelo menos umas duas linhas inúteis em Javascript, criar outras duas variáveis que não servem para porra nenhuma, dar um nome para um objeto que ninguém se importa.

Fazendo copicola do que está na Wikipédia em inglês: [5]

<canvas id="example" width="200" height="200">
This text is displayed if your browser does not support HTML5 Canvas.
</canvas>

var example = document.getElementById('example');
var context = example.getContext('2d');
context.fillStyle = 'red';
context.fillRect(30, 30, 50, 50);

Porra, toda esta merda para abrir uma janela de 200x200 e desenhar dentro dela um retângulo vermelho de tamanho 20x20 a partir a posição (30,30)? Não é usar uma bomba atômica para matar baratas?[6] E que merda é esta de dar uma identidade de example à porra do canvas, e depois chamar a variável de example? O nome tem que ser igual, ou o código funcionaria com var outraporra = document.getElementById...? E porque tem que criar uma ID, depois passar a ID para uma variável, depois criar outra variável com contexto, e só depois começar a plotar?

E nem vamos tentar analisar como se faz animação. Uma porra trivial, que é colocar um retângulo na tela e fazer ele andar do lado esquerdo para o direito e depois parar, requer um total de 72 linhas de código,[7] algumas das quais, como as que usam callback, fazem Volapük parecer até um idioma fácil de aprender.

Como canvas é uma merda, e HTML5 só serviu mesmo para introduzir canvas, temos nosso veredito sobre este novo protocolo.

HTML5 é uma merda.

Salsa

  1. Resumo do que está na Wikipédia em inglês: https://en.wikipedia.org/wiki/HTML
  2. Ou seja: <img src="mulherpelada.jpg" />
  3. E, francamente, nem precisava criar tags novas para áudio e vídeo, bastava acrescentar à tag de imagem parâmetros específicos para áudio e vídeo, como alterar o volume do som ou a velocidade de exibição.
  4. Remember Dmitry Sklyarov
  5. Não pegue este exemplo e tente usar. Não vai funcionar. Mais uma prova de que a Wikipédia é uma merda.
  6. E a história de que as baratas são resistentes a bombas atômicas é um exagero. Elas são foda, tem maior resistência, mas não são imunes: http://insects.about.com/od/roachesandmantids/f/cockroaches-nuclear-bomb.htm
  7. http://www.html5canvastutorials.com/advanced/html5-canvas-animation-stage/

PS: e, como para poder botar canvas tem que rodar Javascript, e o MediaWiki não roda Javascript por paranoia com segurança, isto significa que não tem como botar canvas nas páginas de uma wiki que roda o MediaWiki. E, como detonaram o Flash, então todas animações em Flash deixaram de funcionar sem ter nada que as possa substituir.