Emerson Eduardo Rodrigues

De Wikinet
(Redirecionado de Emerson)
Ir para: navegação, pesquisa
Emerson Eduardo Rodrigues
Emerson shopping.png
Nome realEmerson Eduardo Rodrigues (Setim)
ApelidosPor dogoleiros:
Pedola
Pedolão
Mijão
Por ele mesmo:
Engenheiro Emerson
Capataz Sancto
Capataz da Senzala
Nascimento05/03/1978[1] (41 anos)
Curitiba
Logo do YouTube transparente.png CanalEmerson Eduardo Rodrigues
Logo do YouTube transparente.png Nº de inscritos224
ResidênciaCollado-Villalba, Espanha
Conhecido(a) porJorgice
Brigar com Psy
Se gabar de sua vida
Enganar autoridades
Information icon 2.png Nota: Este artigo é financiado por Eduardo Bolsonaro
e escrito por Joice Hasselmann.

Emerson Eduardo Rodrigues ou Emerson Eduardo Rodrigues Setim[1][nota 1][nota 2] também chamado por vários outros nomes e alcunhas, é uma subcelebridade brasileira da internet e notório criminoso conhecido por seus fãs, haters e curiosos.

Em 2012, ganhou fama no Brasil ao lado de Psycl0n (Marcelo Valle Silveira Mello), quando foram presos pela Polícia Federal na Operação Intolerância por criarem o blog Silvio Koerich, que continha jorgices atacando mulheres, gays, negros, entre outros. Essa prisão causou uma briga vitalícia entre os dois, tornando-os arquirrivais.

No auge da crise econômica e política (2014-18), viajou pelo Brasil e mundo à procura de trabalho, refúgio e seguidores da sua malfadada causa política, o que lhe rendeu muito mais inimigos (haters), mas também alguns fãs e curiosos na internet.

Atualmente, é considerado foragido da Justiça brasileira e vive na Espanha. Pelo que consta em seu perfil do Facebook (suspenso em 22 de março de 2019) e pelo que se vê em seus vídeos, já esteve em várias partes do país, incluindo Collado-Villalba (cidade a cerca de 100 km de Madri), Toledo e as Ilhas Baleares.

Junto a Lola Aronovich, Emerson é uma das duas vítimas mais frequentes das jorgices do Dogolachan.

Nomes e alcunhas

Seu nome de nascimento é Emerson Eduardo Rodrigues,[nota 2] porém, ao se casar com Franciele Aparecida Gonçalves Araújo Setim em 2012, adotou o último sobrenome da então esposa, tornando-se Emerson Eduardo Rodrigues Setim, nome que continuou usando mesmo após o divórcio. Ele é também referido por outras combinações desses quatro nomes, incluindo Emerson Setim, Emerson Eduardo, Emerson Rodrigues,[nota 2] ou até só Eduardo, como a Globo o chamou em 2019. Pela profissão, se autointitula Engenheiro Emerson, mas ele nunca foi engenheiro coisa nenhuma; só técnico. Na vida pessoal, ele diz ser o Capataz Sancto ou Capataz da Senzala.

No Dogolachan, o seu pior pesadelo, é por vezes referido como Pedola ou Pedolão, já que os dogoleiros adoram atrelar pedofilia às suas vítimas. Se notabilizou por seus posts no BRchan em que afirmava beber diariamente a urina da namorada (que mais tarde revelou ser a amante Rafaela de Almeida Vivas Silva) que hoje é inimiga mortal. Ao relatar a história com a ex-amante, ganhou dos seus inimigos os maiores e mais notórios apelidos: Mijão e o famosérrimo Engenheiro Mijão.

Alegações de seu envolvimento em dezenas de crimes não solucionados em Curitiba e outras cidades brasileiras, incluindo até homicídios, circulam há anos na internet.[2] Segundo um dos rumores mais conhecidos, Emerson teria participado do assassinato de Rogério Gaspar em 2008.[3] Ele sempre negou qualquer envolvimento em crimes e atribui a morte de Rogério Gaspar a Ivan Fagundes Machado, um suposto amante de Rafaela de Almeida Vivas Silva (antes de Emerson se envolver com ela)[3] a mando da IURD e junto com seu ex-cunhado Michael Oliveira.[4] Apesar de não haver evidências de nenhum dos dois ter matado Gaspar, seus inimigos criaram e espalharam uma famosa frase-meme atrelando seu nome: Emerson Eduardo Rodrigues Setim matou Rogério Gaspar.

Outra frase-meme explorável envolvendo seu nome é "O X da pedofilia Y", sendo Y alguma área e X uma pessoa ou coisa de destaque nessa área, como nos seguintes exemplos:

  • O William Bonner da pedofilia jornalística;
  • O Machado de Assis da pedofilia literária;
  • O Fernandinho Beira-Mar da pedofilia carcerária;
  • O Ashtar Sheran da pedofilia intergaláctica;
  • O Evelyn de Rothschild da pedofilia judaica;
  • O C++ da pedofilia programadora;
  • O viagra da pedofilia erétil;
  • etc.

Biografia

Antes de 2010

Emerson no Em Nome Do Amor, em 1995.

Emerson nasceu em Curitiba, em 5 de março de 1978, e é filho de Tereza Stafin Rodrigues e Campos Diogo Rodrigues.[1] Pouco ou nada se sabe o que ele fez na infância e juventude, mas sabe-se que ele já foi estudante em escolas de Curitiba até a segunda metade dos anos 90. Sua mãe disse ao Profissão Repórter que Emerson na escola sofria bullying.

Emerson Rodrigues como candidato a vereador.

Em 1995, aos 16 ou 17 anos, apareceu no Em Nome do Amor, um famoso de programa de TV da época apresentado por Silvio Santos no SBT, em que aconteciam reuniões de casais com a seguinte pergunta "É namoro ou amizade?". A garota com quem ele apareceu junto se negou a ficar com ele.[5]

Em 2000 ou 2004 (com 22 ou 26 anos), se candidatou a vereador (provavelmente de Curitiba) pelo Partido Liberal (PL), hoje extinto, com o nome de "Emerson Rodrigues" e o número 22133, mas felizmente não conseguiu se eleger.

Foto de Rafaela de Almeida Vivas Silva e os chifres e rabo desenhados por Emerson Rodrigues.

Em 2000, casou-se com Fabiana de Oliveira, brasileira de etnia indígena. Essa união durou até 2008, quando resolveu trair a então esposa com a amante Rafaela de Almeida Vivas Silva,[6] uma "branquela loira" com quem ele teve uma paixão na adolescência lá nos anos 90 e enteada de Iliobaldo "Léo" Vivas Silva, bispo da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Curitiba, que segundo Emerson era um travesti que se transformava na personagem "Vovó Mafalda". A traída não quis saber da conversa dele e o expulsou de sua vida.

Rafaela tinha um background um tanto quanto questionável.[6] Seu pai biológico era um ex-policial que fora expulso da corporação por ser corrupto e que foi morto por traficantes de drogas. Após perder o marido, sua mãe se casou com Léo Vivas (provavelmente quando era pastor da Igreja Universal) quando Rafaela tinha três anos e o padrasto abusou sexualmente dela dos oito aos dezoito anos. Rafaela era ativa integrante na Igreja Universal como bastidora, o que incluía desvio de dinheiro dos inocentes fiéis. Também tem ou tinha contatos com movimentos feministas no exterior (incluindo, provavelmente, o FEMEN). É fã da feminista Valerie Solanas, de passado questionável, autora do livro Scum Manifesto, um livro supostamente irônico mas que dissemina ódio contra homens.[3]

Em 2009, foi registrado no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro o processo nº 0176053-13.2009.8.19.0001 contra Emerson, por lesão corporal em decorrência de violência doméstica. O nome da pessoa lesada não consta nesse processo, que foi arquivado em 2012.[7]

Em 2010, Rafaela enviou para Emerson, que estava na Índia, um vídeo de 18 minutos onde aparece sendo gangbangeada por vários negros e dizendo que todo homem branco devia ser sodomizado. Ao ver o vídeo, Emerson testemunhou o feitiço se virar contra o feiticeiro (já que tinha traído a esposa com Rafaela em 2008) e teve um ataque de raiva. Gravou um famoso vídeo em que faz várias declarações preconceituosas sobre o país, além de expressar racismo contra os negros, para enviar a ela como resposta. O vídeo em questão, conhecido como "vídeo da Índia", foi postado no YouTube pelo próprio Emerson no final de 2011 (ver Curiosidades). Dizia ele “Quando o Brasil se tornar isso [a Índia] porque todas as loiras miscigenadoras vão trepar um dia com um macaco e não vai ter mais brancos que nem eu, homens limpos, homens trabalhadores, aí eu quero ver o que vai acontecer” e “O estado inerente do preto é a sujeira; o estado inerente da mulher é a prostituição […] e o estado do homem branco é o trabalho”, entre outras afirmações de cunho racista e misógino.

Suposta postagem de Emerson na época do Orkut ensinando a estuprar. Hoje, Emerson afirma que fizeram um perfil fake para difamá-lo.

No final da década de 2000, Emerson começou a frequentar comunidades masculinistas no Orkut.[6] Sua suposta primeira artimanha na web foi quando postou, na comunidade "Elas preferem os canalhas!!!", um tópico intitulado "Dicas - dopar uma novinha para estuprar" no dia 5 de março de 2010 (na época, a palavra "novinha", que se refere a garotas atraentes menores de idade, era pouco conhecida). O tópico provocou uma avalanche de mensagens dos indignados na comunidade e depois foi excluído, porém um print de baixa qualidade (que exclui as drogas citadas como ferramentas de estupro) circula na internet até hoje. O print foi tirado por um desconhecido que ficou indignado e chegou a denunciar o perfil na época (mas nada ocorreu). Emerson sempre negou a autoria da postagem e a atribui a Rafaela, que teria criado perfis falsos dele por vingança, mas ninguém acredita nesta versão dele por conta das suas desventuras que podem ser lidas abaixo.

2010-11: BRchan e Silvio Koerich original

Emerson em 2011. Antes de ser preso, trabalhava na Ericsson.

Por volta de 2010, passou a frequentar chans (que permitem anonimato sem mostrar o IP), chegando a se identificar e descrever sua história. No BRchan, se notabilizou por posts em que afirmou beber diariamente a urina da namorada, que mais tarde revelou ser a amante Rafaela de Almeida Vivas Silva.[6] Ao relatar a história com a então amante e sua vida privada, ganhou uns dos maiores e notórios apelidos pelos inimigos: Mijão, além do famosérrimo Engenheiro Mijão. Por causa dos apelidos, passou ser alvo de chacota e saiu do BRchan menos de um ano depois.

Nessa época, descobriu a existência do blog masculinista e antifeminista Silvio Koerich. Algum tempo depois, conheceu Marcelo Valle Silveira Mello, o Psycl0n, em comentários do blog. Começaram a interagir por e-mail e mensagens privadas, tornando-se amigos e parceiros.[6] Os comentários deles nas postagens do blog chamavam mais atenção do que outros por serem pesados demais e acabaram sendo censurados pelo blogueiro, que passou a exigir aprovação de comentários, prejudicando outros usuários. A insistência deles fez Koerich banir seus IPs do site no início de 2011.

2011–12: Silvio Koerich falso

Com o Massacre de Realengo em 7 de abril de 2011, Silvio Koerich parou de fazer postagens em seu blog devido a acusações de que ele teria indiretamente motivado o ataque.[nota 3] Três meses depois (julho), sem dar nenhum motivo, o blogueiro fez um último post anunciando o encerramento das atividades. No entanto, manteve todas as postagens no ar para preservar a história e futuras pesquisas no blog.

Print parcial do blog falso Silvio Koerich em 22 de setembro de 2011.

Ao mesmo tempo, com seus contatos pessoais, Emerson e Marcelo decidiram se vingar de Silvio Koerich por tê-los banido. Criaram duas cópias baratas do blog original com o mesmo nome (caso um caísse, o outro era usado).[6][5] Mas essas versões, além de serem antifeministas, eram cheias de jorgices, ou assuntos chocantes para quem não tinha estômago ou costume de ler tantas barbaridades (tchê!), como a defesa de estupro (contra mulheres e crianças), racismo (contra os negros), pedofilia (com meninas), preconceitos (contra judeus, nordestinos e nortistas brasileiros), defesa de massacres e violência (contra universitários, animais, homossexuais, esquerdistas) e até atentados contra a Rede Globo de Televisão (por promover Jean Wyllys e defender pautas esquerdistas)[nota 4] e autoridades oficiais (da Justiça, Ministério Público e a Polícia Federal), entre outros. Os dois blogs falsos começaram a funcionar cerca de três meses depois do verdadeiro anunciar o fim das atividades.

Emerson na praia de Pipa, em Natal, 2011. Emerson afirma que esta foto foi tirada num passeio que fazia junto a Juliana Pinheiro Viana, uma farmacêutica de Campo Grande que estava traindo seu marido com Emerson, antes dele se envolver com Rafaela e depois Joice Hasselmann.[4]

Os blogs jorges começaram a ser denunciados em meados de novembro por causa de postagens reproduzidas nas redes sociais (Orkut, Twitter e Facebook) e depois na imprensa brasileira nos primeiros dias de dezembro. O blog chamou atenção do grupo hacktivista Anonymous e começou a receber denúncias na Polícia Federal. O Anonymous Brasil (que vivia sua era de ouro) tentou derrubar os blogs duas vezes no final de dezembro e, apesar de não ter conseguido, obteve as identidades dos responsáveis, realizando o que hoje se chama doxxing (exposição de dados pessoais na internet).[5]

Em dezembro, ao saber que o blog fake estava dando mais atenção do que o original, o verdadeiro Silvio Koerich decidiu tirar seu blog do ar por definitivo, apagando todas as postagens. Se apresentou na polícia negando sua autoria das postagens criminosas e auxiliou as autoridades policiais na identificação dos suspeitos que estavam assassinando sua reputação seu blog verdadeiro. Apesar de estar fora do ar, os fãs do do blog original conseguiram salvar todas as postagens e disponibilizaram-nas na internet.

Em 12 de janeiro de 2012, ainda em meio à polêmica do blog, Emerson casou-se de novo, desta vez com uma mulher chamada Franciele Aparecida Gonçalves Araújo Setim, depois de tê-la engravidado e alguns meses depois de se encontrarem no ano passado.[3] Cerca de um mês depois de casado, os dois brigaram feio depois dela anunciar que estava esperando uma menina ao invés de um menino, para o desgosto de Emerson.

2012-13: Prisão

Emerson sendo preso em 22 de março de 2012.
Capa do Correio Braziliense em 23 de março de 2012
Mugshot

Em 22 de março, depois da postagem no blog prometendo um massacre igual ao de Realengo na Universidade de Brasília, que chamavam "reduto de esquerda", além de extrapolar em diversos assuntos tão absurdos que queimaram a reputação do blog original,[6] a Polícia Federal resolveu executar a chamada Operação Intolerância e prendeu Emerson e Marcelo em Curitiba.[8] Toda a imprensa brasileira repercutiu o caso e Marcelo e Emerson tiveram seus rostos e nomes expostos pela grande mídia. O jornal Correio Braziliense (de Brasília) dedicou a capa inteira do dia 23 de março sobre o caso.

Os perfis de Emerson nas redes sociais no Twitter e Facebook (ID ou emerson.e.rodrigues) foram suspensos na época, mas o canal do YouTube que ele usava na época continua no ar até hoje, porém sem vídeos. Enquanto isso, o blog jorge Silvio Koerich permaneceu online com as postagens até a empresa responsável pela manutenção dos sites retirá-los de serviço, mas não do ar, em meados de abril.

Na prisão e na tentativa de se safar na cadeia, Emerson e Marcelo botaram a culpa um no outro, o que fez com que cada um tivesse seu advogado de defesa e a eterna rivalidade entre os dois começasse. Diante da gravidade das postagens criminosas, o caso foi colocado em segredo de justiça, o que contribuiu para que a operação policial e os envolvidos fossem esquecidos nos noticiários.[nota 5]

Em novembro, dois vídeos postados no YouTube (logo suspensos) mostram prints de páginas do processo judicial que estava em segredo judicial contra os envolvidos que foram vazados por algum integrante que está ligado ao caso. A promotoria pública no Paraná determinou investigação do vazamento do caso (que parece que deu em feijoada).

Em 7 de fevereiro de 2013, Emerson e Marcelo, já presos, foram condenados a quase sete anos de prisão. Na teoria, seriam soltos somente em 2019. No entanto, em maio de 2013, ambos foram soltos pela Justiça para responderem em liberdade e continuaram a brigar. A soltura foi graças à legislação brasileira muito branda em relação a esses crimes e por terem cumprido um sexto da pena, como também indulto presidencial.[nota 6] Ao contrário da mega cobertura que imprensa deu na prisão da dupla, a soltura deles não teve nenhuma cobertura dos mesmos órgãos.[nota 5]

Entre o final de maio e o início de junho, 22 dias depois da soltura, o pai de Emerson, que já estava doente há anos, morreu. Após de ser solto e perder seu pai, Emerson criou um novo perfil no Facebook (que já estava ganhando o espaço do Orkut), pois o anterior havia sido suspenso após a notícia da prisão, dando sinal de que ele tentaria reconstruir a vida e esquecer os casos Silvio Koerich e o BRchan). Foi nessa época que voltou a se meter na política, desta vez como ativista político, criando seu blog, hoje abandonado.

No dia dia 4 de julho, a única filha de Emerson, batizada de Izabella Rodrigues Von Stafin Setim, nasceu.[9]

2013–16: Ativismo político

Em meados de 2013, após os protestos nacionais que quase derrubaram o governo Dilma Rousseff e governos estaduais e municipais, passou a seguir o perfil de Olavo de Carvalho no Facebook e fazer comentários lá, além de participar de comunidades antipetistas e pró-tucanas para defender a direita. Algum tempo depois, tornou-se moderador do grupo criado por Carvalho na rede social citada.[6]

Em 2014, no entanto, Olavo de Carvalho recebeu informações e denúncias de outros membros do grupo sobre o passado duvidoso do novo moderador. Ao ter este conhecimento, inclusive com provas, Carvalho tirou Rodrigues do cargo de moderador, expulsou-o do grupo e bloqueou seu perfil, impedindo qualquer contato. Ao saber de sua expulsão e bloqueio, decidiu se vingar fazendo graves denúncias caluniosas contra Olavo, incluindo desde fraude até pedofilia, acusações das quais ele nunca mostrou provas. Além de se tornar um desafeto dele, fez ganhar milhares de desafetos que seguem Olavo, os chamados "olavetes". Nessa época, após um ano desempregado, trabalhou na Dataprom se dizendo engenheiro, mas não sabia nem consertar uma catraca e foi demitido em menos de uma semana.

Emerson e o padre Pedro Stepien.

Algum tempo depois, apresentou-se no Facebook como “Assessor Parlamentar/Jurídico do Dr. Matheus Sathler”, candidato a deputado federal pelo PSDB no Distrito Federal e autor do polêmico “Kit Macho" (em oposição ao outro polêmico "Kit Gay" de Fernando Haddad), além de apoiar a candidatura dele.[6][10] Na época, Emerson e Matheus Sathler aparecem em fotos no Facebook sendo abençoados pelo padre Pedro Stepien (que é contra qualquer direito civil para LGBTs e considera a homossexualidade uma patologia mental), enquanto outra foto mostra Emerson e Stepien com miniaturas de bebês. Não se sabe como Emerson se tornou assessor parlamentar e jurídico de um candidato a deputado federal. Mesmo sem Sathler ter ganhado a eleição naquele ano, é um feito e tanto.

Emerson participou nas campanhas eleitorais em Curitiba, onde apoiou a reeleição do governador Beto Richa (no Paraná) e a candidatura presidencial de Aécio Neves (ambos do PSDB) contra Dilma Rousseff (PT).[nota 7] Foi na mesma época em que Emerson usou o livro "Assassinatos de Reputações" (escrito por Romeu Tuma Junior) para denunciar que ele teria sido alvo de difamação em 2012. (Há uma foto em que ele aparece com o então governador do Paraná, Beto Richa.)[11] Ao mesmo tempo, passou a anunciar em seus vídeos e postagens nas redes sociais que estaria escrevendo um livro que desmascararia a chamada "falsa direita" chamado de "Os Sofistas da Direita: Falsos Defensores da Liberdade", além de defender intervenção militar.[nota 8]

Em 17 de outubro, enquanto protestava contra Dilma Rousseff (PT) durante ato da campanha petista em Curitiba, foi brutalmente agredido por militantes do PT, recebendo chutes, socos, empurrões e sendo derrubado, além de ter sua camiseta verde-amarela rasgada e arrancada. O espancamento só parou depois de intervenções de populares alheios ao ato de pró-Dilma que o socorreram. Ele estava aturdido, com hematomas e grogue. A informação da agressão contra ele foi postada no Blog to Tupan.[12] Nem o blogueiro, nem os populares que o agrediram e nem os que o socorreram, não reconheceram o homem que fora preso em 2012.[6]

Emerson trabalhando. Segundo Emerson, essa foto foi tirada em 2014 na Ericsson com dois advogados, quando fechou um contrato com a Alternate Communications do Canadá.[4] Outras teorias dizem que a foto foi tirada em 2011 ou 2016.

Depois das eleições de 2014, Emerson reduziu sua exposição na internet a devido problemas pessoais. Ele foi obrigado a pagar a pensão atrasada da filha após o divórcio. Foi nessa época que fez, supostamente, uma postagem preconceituosa no Facebook em que admitiu ter humilhado e agredido a então esposa após saber que teria filha, afirmando que preferia ter filho, além de fazer discriminação contra negros e homossexuais. A turma do Dogolachan soube disso e usou o fato para atacar a filha, tornando-a vítima de montagens grotescas de estupro entre os desafetos que angariou dentro do próprio grupo.

Em 23 de fevereiro de 2015, começou a postar em seu blog pessoal denúncias contra diversas pessoas,[6] além de defender a Nova Direita, que começou a surgir com os protestos após a reeleição de Dilma Rousseff (2014) e crescer no decorrer de 2015. Participou em Curitiba de manifestações contra o governo corruPTo e impopular de Dilma, além de fazer postagens nas redes sociais para recrutar seguidores e conseguir contatos com os intervencionistas e direitistas (que também não sabiam do seu passado) para fazer entrevistas e ganhar espaço. Nessa época, passou a apoiar a campanha de Jair Bolsonaro para presidente da República.

Em 3 de abril, mudou-se Manila (capital de Filipinas),[13] mas sem nenhum motivo aparente, voltou ao Brasil em uma data não especificada.

Na época de protestos e viagem às Filipinas, conseguiu contatos com diversos blogueiros (entre eles o então desconhecido blogueiro Robson "Otto" Aguiar),[6] além de jornalistas e outros. Ao mesmo tempo, começou a perceber e denunciar a existência da "falsa direita", nome pejorativo para o grupo político brasileiro que se dizia"nova direita" e afirmava combater a esquerda em meio às manifestações. Apesar disso, na prática era o contrário: a "falsa direita" necessitava da esquerda, e vice-versa, para manterem a "falsa briga" e enganar eleitores.

No entanto, a "falsa direita" era denunciada por uma parte de manifestantes dentro e fora da internet. Apontavam um partido específico: mostraram-se descontentes com as atitudes dos políticos do PSDB, que era o principal partido de oposição ao PT desde 2003. Quando começou a se falar na possibilidade de impeachment, políticos famosos do PSDB (como José Serra, Geraldo Alckmin, Aécio Neves, Fernando Henrique Cardoso, Aloysio Nunes, entre outros) se negaram a apoiar o afastamento de Dilma Rousseff, defendendo que ela ficasse até o fim do mandato em 1º de janeiro de 2019.[nota 9] Com o impeachment questionável pelo qual Dilma foi afastada da presidência, mas poupada nos direitos políticos, Michel Temer & Companhia mantiveram as velhas práticas de governos anteriores: corrupção, cargos em troca de votos, alianças com países duvidosos de direita ou esquerda (aliadas ao globalismo), críticas veladas ao nacionalismo e ao populismo (que surgiam com a crise de partidos tradicionais que comandavam os países há décadas), entre outros.

Entre julho e agosto do mesmo ano, Robson "Otto" Aguiar publicou séries de entrevistas com Emerson em seu blog e seu canal no YouTube.[6] Em uma delas, Emerson afirmou ter sido alvo de fraude e perseguição da quadrilha liderada por Psy. As postagens foram suficientes para que o blogueiro se tornasse uma vítima da quadrilha, que atribuiu a ele uma série de postagens do infame blog do Tio Astolfo (outro blog similar ao do Silvio Koerich). Ele chegou a receber ameaças de morte de muita gente indignada que acreditou que ele realmente fosse o responsável pelas postagens jorges, o que se agravou com reportagem no R7 afirmando que ele foi o verdadeiro autor do blog (razão pela qual ele foi obrigado a acionar a justiça) Seus dados pessoais foram divulgados no blog em que desafiou a polícia, mas depois o blog foi tirado do ar.

Em novembro, um fato chamou atenção dos dogoleiros, fãs, haters e curiosos: Emerson passou desferir ataques contra Jair Bolsonaro nas redes sociais sob alegação que ele fosse da falsa direita e passou a defender intervenção militar no Brasil.[6] Tal feito indignou os seguidores de Bolsonaro nas redes sociais, que passaram a então questionar os motivos de Emerson fazer isso. Ao pesquisarem o passado dele na internet, se depararam o nome dele atrelado ao blog que o fez ir para a cadeia em 2012. Mais uma vez, se valeu de acusações e ameaças, o mesmo modus operandi contra Olavo de Carvalho.

Emerson, visivelmente mais rechonchudo, e Marcelo no Bar do Alemão em Curitiba em 2015.

Alguns dias depois, fotos tiradas em uma data não especificada que passaram a circular na internet (provavelmente feitas em outubro) mostram Emerson e Marcelo juntos pela primeira vez desde a prisão em 2012 (uma delas mostra Marcelo fazendo a saudação nazista) no Bar do Alemão, localizado em Curitiba. Em outra foto, Emerson e Marcelo aparecem juntos com um homem identificado como "Coelho" e também fora do bar sorridentes.

Até o surgimento das fotos, muitos acreditaram por mais de dois anos que a dupla não se falava desde que foram presos e que por isso se tornaram inimigos mortais, tendo cada um seu advogado de defesa. Alega-se de que Coelho pode ter sido o responsável pela reaproximação da dupla ou que eles simplesmente fingiram que estavam brigados para cair fora da cadeia. No entanto, após as fotos, surge outra história de que a dupla tinha voltado a brigar, na volta de uma viagem de carro de Curitiba ao Rio de Janeiro, pouco tempo depois das fotos serem tiradas.

Emerson pegou um carro emprestado, Marcelo pagou a gasolina e Coelho dirigiu. Emerson tinha dito aos dois que ele só iria ao Rio para tirar o visto de seu passaporte, mas em algum momento depois, Marcelo descobriu que Emerson na verdade pretendia ver o então deputado federal Jair Bolsonaro num encontro que já estava marcado para o dia seguinte. Irado com a descoberta, Marcelo a contou para Coelho e os dois resolveram se vingar secretamente: descobriram o telefone da equipe de Bolsonaro e um deles (provavelmente Marcelo) informou aos assessores do então deputado tudo sobre o passado negro de Emerson, tendo inclusive pedido para pesquisarem o nome dele no Google. No dia do tal encontro, Bolsonaro não quis receber Emerson, para o seu desapontamento. Após os três voltarem de carro para Curitiba, Marcelo e Coelho revelaram o que tinham feito em retaliação à mentira, além da descoberta do vídeo que fizeram falando mal de Izabella, a filha do Emerson. A revelação foi o estopim da nova briga entre Emerson e Marcelo, dessa vez envolvendo também Coelho. Desde então, a dupla dinâmica das jorgices nunca mais se falou.

Após as revelações, seus inimigos e antigos seguidores dos ambos aproveitaram esta oportunidade e usaram as fotos deles juntos no Bar Alemão para atacar a dupla e afirmar que a briga entre eles é uma farsa. Nessa época, após ver as fotos de Emerson com Marcelo, Robson "Otto" Aguiar se sentiu enganado por Emerson e rompeu todos os vínculos com ele. Ao souber do rompimento, Emerson passou atacar Robson.

Entre janeiro e maio de 2016, pelo segundo ano seguido, participou das manifestações contra o governo corruPTo e impopular da Dilma Rousseff, que, além de agravar a crise econômica, fez politicagem ao tentar colocar seu mentor Lula como ministro-chefe da Casa da mãe Joana Civil para obter foro privilegiado, o que não deu certo devido ao fim do sigilo telefônico que veio à tona após o fim do segredo judicial e dezenas de liminares judiciais pra impedir essa nomeação controversa. Aproveitando os protestos e postagens nas redes sociais, Emerson conseguiu reunir novos seguidores sem conhecimento da sua má reputação, que o largavam sempre que descobriam a verdade.

Ainda em 2016, Emerson entrou com processo para poder visitar sua filha esporadicamente. A disputa é extensa: Emerson registrou, em março de 2016, um B.O. contra seu ex-sogro, pai de Franciele, por ele tê-lo ameaçado após uma discussão entre Emerson e ela. Franciele também tem boletins contra Emerson, em um deles, ela relata ter se encontrado com Emerson num terminal de ônibus, com dizeres de discussão de fatos acontecidos no casamento, irritando Izabella, filha do casal. Ela ainda relata que ao pegar o celular para ligar para alguém, Emerson teria a impedido, e a insultado de "vagabunda", "filha da puta", e teria dito que a mataria se sua filha não estivesse ali. Franciele teria recebido uma medida protetiva após suas denúncias, o que impede Emerson de se aproximar menos de 200 metros dela, além de não poder contactar nem ela nem qualquer familiar dela por qualquer meio de comunicação.[9]

Na metade do ano, passou a apoiar a campanha que levou Donald Trump à presidência dos Estados Unidos ao derrotar a Hillary Clinton, vista como a queridinha pela imprensa americana e internacional. (As notícias desfavoráveis contra o candidato ao Partido Republicano e a favor ao Partido Democrata seriam mais tarde definidas por Trump e seus apoiadores como fake news.)

2016–17: Saída do Brasil para os Estados Unidos

Emerson em Chicago em 2017, antes dele "se cagar" na prisão.

No final de novembro de 2016, em um vídeo postado no YouTube, surpreendeu seus fãs, haters e curiosos na internet ao anunciar que estava nos Estados Unidos para pedir asilo político, sob alegação de que estava sendo perseguido pela esquerda e a falsa direita no Brasil. De acordo com sua conta antiga do Facebook, hoje suspensa, chegou em Las Vegas em 16 de novembro,[14] o que sugere que ele tenha chegado alguns dias antes. Em 3 de janeiro de 2017, Emerson mudou-se de Las Vegas para Chicago[14][15] e, um mês depois no dia 3 de fevereiro, foi a Boston.[16]

Desde que começou a viajar pelos Estados Unidos e morar em diversos endereços pelo país, passou a fazer vídeos ao vivo (que na época ainda não eram chamados de lives) denunciando a esquerda e a falsa direita no Brasil. Isso incluiu difamar e xingar (e muito) Jair Bolsonaro. Suas ofensas também foram direcionadas a Olavo de Carvalho. Ele chegou a dizer que invadiria a residência do ex-astrólogo, que também morava no país, como também de líderes da esquerda como Jean Wyllys.

Nessa época, tentou-se aproximar do blogueiro brasileiro Júlio Severo, um ativista pró-família e conservador que havia deixado o Brasil em 2009 por causa de perseguições de ordem jurídica e política. De acordo com postagens do próprio blogueiro nas redes sociais, foram duas vezes que Emerson propôs encontrar-se, mas recusou o convite ao pesquisar e saber de seu passado duvidoso (talvez por evitar que acontecesse a ele o mesmo que aconteceu a Robson "Otto" Aguiar). Com a recusa de Severo, Emerson passou a fazer ameaças e acusações falsas (o mesmo modus operandi de sempre) ao gravar dois vídeos contra Júlio Severo. Seguidores do blogueiro nas redes sociais se revoltaram com essa atitude, decidindo deixar de segui-lo, lhe rendendo ainda mais desafetos dentro e fora da internet.[6]

Na manhã do dia 27 de maio de 2017,[17] um ataque de origem desconhecido nos Estados Unidos por meio de internet fez com que centenas de impressoras fax conectadas à internet em escolas, hospitais, templos religiosos (sinagogas, igrejas e mesquitas), jornais, comércios, empresas de radiodifusão (rádio e TV) localizados em outros locais no país recebessem falsas ameaças de bombas em nome de "Emerson Eduardo Rodrigues Setim", citando até o número do seu passaporte.[6][17][18][19][20][21][22][23][24][25][26][27][28][29][30][31][32][33][34][35][36][37][38][39][40][41]

Após receberem e lerem as ameaças, os donos dos locais públicos e privados chamaram imediatamente a polícia, esquadrões antibombas (como a SWAT) e antiterroristas, que acabaram por não encontrar nada e anunciar que as tais ameaças, sem precedentes desde o 11 de setembro de 2001, eram falsas, e classificando-as como hoax (embuste).[17][18][19][20][21][22][23][24][25][26][27][28][29][30][31][32][33][34][35][36][37][38][39][40][41] Um dos lugares ameaçados, o Farmers Market de Franklin, foi esvaziado e as perdas pelo transtorno podem chegar a 100 mil dólares.[42]

O fato gerou um enorme furdúncio na imprensa americana (em dezenas de reportagens, algumas já excluídas) e autoridades em dezenas de pontos pelo país, quando descobriu-se posteriormente que o ato não foi restrito a uma determinada cidade ou local público americano.[6][17][18][19][20][21][22][23][24][25][26][27][28][29][30][31][32][33][34][35][36][37][38][39][40][41]

A ameaça feita em nome de Emerson, distribuída por fax para vários locais de Cleveland, Ohio em 27 de maio de 2017. Imagem extraída desse vídeo.

O conteúdo, cheio de erros gramaticais, era o seguinte:[20]

Good Morning,

I'll be brief.

I installed several explosives in the building.

If you do not send in the amount of $ 25,000 by May 31st I will blow up this whole block.

If you try to contact the police, I'll know.

I also have access to your computers and email addresses.

Go to the nearest WesternUnion agency and send the amount to Emerson Eduardo Rodrigues Setim. The passport number is FO645170. It's a brazilian passport. The city that the money will be withdraw is Chicago, Illinois, USA.

Do as I say and no one will get hurt.

PS: I repeat, if you try to contact the police i will known.

Tradução:

Bom dia,

Eu serei breve.

Eu instalei diversos explosivos no prédio.

Se vocês não enviarem o valor de US$ 25.000 [vinte e cinco mil dólares americanos] até 31 de maio, eu explodirei este bloco inteiro.

Se vocês tentarem entrar em contato com a polícia, eu saberei.

Eu também tenho acesso a seus computadores e endereços de e-mail.

Vá até a agência WesternUnion mais próxima e envie o valor para Emerson Eduardo Rodrigues Setim. O número do passaporte é FO645170. É um passaporte brasileiro. A cidade em que o dinheiro será retirado é Chicago, Illinois, EUA.

Façam o que eu digo e ninguém vai se machucar.

P.S.: Eu repito: se você tentar entrar em contato com a polícia, eu saberei.

No entanto, as falsas ameaças de bombas por mensagem não tiveram repercussão internacional (não houve reportagens estrangeiras de jornais conhecidíssimos como Reuters, AFP, entre outros, incluindo os do Brasil), embora os chans brasileiros (55ch e Dogolachan) e do exterior (8ch) tenham repercutido a notícia. Os channers brasileiros atribuem a autoria das ameaças a Psycl0n e seu bando, que teriam se aproveitado de uma falha técnica nessas impressoras e a usado para encaminharem as ameaças em nome de Emerson em um trote informático.[6] O conteúdo usado pelo bando era semelhante a outras ameaças feitas no país em anos anteriores, porém com diferenças, pois meses depois (dezembro) um homem que fez uma ameaça com um texto semelhante, usando "ISIS" (Estado Islâmico), foi preso e condenado pela Justiça.[43]

Por outro lado, como as ameaças expuseram um grave problema na segurança interna dos Estados Unidos, as autoridades do país começaram a investigar o caso após receberem informações tanto de americanos como de brasileiros. Ao pesquisarem em sites de buscas o nome da pessoa que apareceu nos noticiários,[6][17][18][19][20][21][22][23][24][25][26][27][28][29][30][31][32][33][34][35][36][37][38][39][40][41] se depararam com as notícias da prisão no Brasil quatro anos antes. Foi a partir daí que começou a ter problemas no país, onde tentava reconstruir sua vida, quando começaram a surgir denúncias de outros crimes.[nota 10]

De acordo com as denúncias, Emerson praticou golpes e estelionatos em diversas cidades americanas contra imigrantes brasileiros que viviam legalmente, enganando-os e evitando as autoridades americanas por portar documentos com visto de turista vencido há meses, querendo ser mais um imigrante ilegal vivendo às custas dos contribuintes nos Estados Unidos,[44] o que desmancha suas alegações como asilado político no final de 2016.[nota 10][6] Emerson nega: ele alega que seu visto não estava vencido, e que ele teria visto por 10 anos.[45]

No fim de maio, Após este inusitado trote, Emerson parou de fazer postagens e vídeos nas redes sociais e em menos uma semana, no início de junho, suas contas desapareceram (tendo sido suspensas ou tiradas do ar pelo próprio usuário),[6] com a exceção da conta "Emerson Eduardo Rodrigues", que está no ar até hoje, porém desatualizada, após conseguir mais de 2000 seguidores. Como ele praticamente sumiu da internet sem deixar rastros, surgiu uma avalanche de fake news nos chans sobre o que teria acontecido[6] A partir de então, surgiram boatos de que ele estaria preso, pois, de acordo com o Reddit, ele tinha sido preso antes do dia 3 de junho, na cadeia de Pulaski Country Jail[46] que pode ser vista aqui.

Em 15 de agosto, o blogueiro Robson "Otto" Aguiar publicou em seu blog que Emerson estava preso há três meses nos Estados Unidos.[6][47] O blogueiro não informou como obteve esta informação, mas suspeita-se que a recebeu de uma fonte anônima que monitora ações da quadrilha que difama famosos na internet.[47] No início, ele estava na cadeia Michenry Country Adult Correctional Facility e depois foi transferido para a Kankakee Country Jail,[47] além de ser transferido para outras cadeias em diversos condados (equivalente aos municípios americanos).[44]

De acordo com o blogueiro, o autoproclamado selfmade man tinha sido preso "há três meses" por autoridades americanas ligadas ao ICE (U.S. Immigration and Customs Enforcement), uma autarquia federal criada após os ataques do 11 de setembro que combate a imigração ilegal nos país (o que supõe que ele fora preso por imigração ilegal) e citando as duas cadeias americanas em que ele esteve (havendo as transferências por conta de ter feito outros crimes, além da prisão por imigrar ilegalmente).[47][44]

O mais irônico nesta prisão: o presidente Donald Trump, por quem Emerson nutria admiração, estava determinado em reprimir a imigração ilegal, acabar com imigração descontrolada e expulsar os ilegais no país, provocando uma queda de pessoas que tentavam entrar ilegalmente através do México, para o desespero dos coiotes e a mídia pró-imigração.[nota 10]

2017–18: Saída dos EUA, retorno ao Brasil e repúdio pela direita e intervencionistas

No final de setembro de 2017, após cumprir pena de quatro meses de cadeia por imigração ilegal e ter enganado brasileiros e autoridades americanas, ele teria sido expulso do país e proibido de voltar lá por cinco anos (2017-22). Emerson, no entanto alega que não foi expulso, mas que saiu do país voluntariamente. Para corroborar com sua alegação de saída voluntária, ele apresenta um documento com o título de "Voluntary Departure", que certificaria que ele teria decidido ir embora do país por conta própria, e não por ter sido forçado a isso. O documento limita sua saída do país para no máximo no dia 30 de setembro de 2017.[48][6][nota 10][nota 11] Em outubro, Emerson conseguiu empregos em empresas de telefonia móvel, porém por curto tempo. Ao mesmo tempo, voltou às redes sociais (YouTube, Twitter e Facebook), mas em nenhum momento falou algo sobre as acusações que levaram à sua prisão.

Para explicar seu sumiço nas redes sociais, fez a inacreditável afirmação de ter ajudado autoridades americanas (incluindo o FBI) a denunciar o crime organizado infiltrado na política brasileira, com conluio das autoridades judiciárias e políticas, além de alegar que fora julgado e declarado inocente no país. Voltou a fazer vídeos difamando e acusando a esquerda e a direita de diversos crimes, denunciando o Dogolachan, além de reafirmar a sua defesa da intervenção militar no Brasil.

Se valendo de acusações e ameaças, o mesmo modus operandi contra Olavo de Carvalho e Júlio Severo, voltou a atacar não só Jair Bolsonaro, mas também diversos famosos: os familiares de Bolsonaro, dezenas de políticos, intervencionistas e até o então juiz Sérgio Moro e a Lava Jato, o que lhe rendeu ainda mais desafetos.[6] Entre os novos alvos estavam Joice Hasselmann, com quem alega ter sido namorado, noivado e mantido um relacionamento sexual selvagem (apesar dela ser casada há mais de 10 anos) e Carla Zambelli, ex-ativista do infame grupo feminista FEMEN.[49]

Os constantes ataques contra indivíduos da direita, esquerda e intervencionistas (após após ganhar os seguidores), sob alegações sem provas que eles eram ou se vendiam ao "sistema" (o establishment) da esquerda e a falsa direita, chamando-os de "quinta coluna", fizeram-no alvo de dezenas de processos judiciais no Brasil.[6] Isto atraiu a ira dos seguidores das vítimas, que inicialmente não sabiam do seu passado e o viam como desde um petista a um intervencionista, mas que, depois de pesquisarem seu nome, descobriram que ele fora preso duas vezes.

Por causa de ataques incoerentes motivados por suas crenças partidárias e políticas questionáveis e controversas, conseguiu a proeza de entrar em uma inédita galeria de indivíduos brasileiros "repudiados tanto pela direita como pela esquerda" que tinham alguma relevância ou influência na internet pelo discurso direitista ou esquerdista até anos recentes por fazer ataques e críticas contra algum especto político. Desde então, passou ser repudiado por ser um agente da desinformação (desinformante) e foi expulso de todos os contatos possíveis que tinha nas redes sociais, tornando-se uns dos travestidos de ativistas políticos mais odiados da internet brasileira.[6]

A galeria é referente aos indivíduos que eram contra a corrupção e desvios éticos de partidos políticos (tanto na esquerda e na direita) e fizeram críticas a governos ou grupos de esquerda e ao socialismo no Brasil (como os governos do PT de Lula e Dilma Rousseff) e no exterior e que dizem defender a direita e a oposição formada pelo PSDB. No entanto, com a crise econômica (2014) que afetou a política (2015) e levou ao impeachment de Dilma Rousseff e o novo governo de Michel Temer (2016), eles se mostraram tendenciosos e desinformantes. Quando as investigações começaram a mirar também os políticos do PSDB (o partido queridinho pela imprensa e indivíduos supostamente antiPT e antiesquerda), passaram a atacar Jair Bolsonaro e todo o pessoal da Lava Jato demonstrando seus discursos e oportunismos a partir da queda em desgraça de todo o pessoal do PSDB (José Serra em 2016, Aécio Neves e Geraldo Alckmin em 2017).

Os desinformantes brasileiros são defensores da manutenção do establishment (político, econômico e social) da "era PSDB-PT-PMDB" (a falsa briga entre PT-PSDB e o coadjuvante nesta briga, o PMDB) que durava desde a queda do Collor e é antagônica àqueles contrários ao establishment (a ordem estabelecida desde os anos 90, planejada antes do fim da Guerra Fria) e favoráveis ao globalismo: Rachel Sheherazade, Reinaldo Azevedo, Diogo Mainardi, Arnaldo Jabor, Ucho Haddad, Marcelo Madureira, Marco Antônio Villa, Joaquim Barbosa, Fernando Henrique Cardoso, Marina Silva, Aloysio Nunes, João Dória, todo o pessoal liberal no Brasil (MBL, ILISP e outros) e no exterior (Gloria Alvarez), entre muitos outros.

Desde 2018: Saída do Brasil para exterior (Itália e Espanha) a foragido da Justiça

Emerson trabalhando em um restaurante da Espanha.

Por conta de dezenas de processos judiciais pendentes há anos, além de acusar indivíduos sem provas e virar um dos indivíduos mais odiados no meio político (tanto pela esquerda como pela direita) e por ser um desinformante, decidiu planejar a segunda saída do Brasil.[6] Em 20 de março de 2018, deixou o Brasil e se mudou para a Itália, se instalando em Roma (capital do país).[50] e Exatamente um mês depois (20 de abril), deixou Roma e foi pra Madri, capital da Espanha[51] (usando a mesma conversa fiada que fez nos Estados Unidos de pedir asilo).[6] Desde então, sobrevive de empregos temporários, como trabalhar em restaurantes espanhóis e ser um limpador de neve em época de inverno espanhol (dezembro a março). Também é conhecido por aplicar golpes aos poucos idiotas que o seguem nas redes sociais, como pedir 700 dólares para mandar um iPhone novo pelo correio e sumir com o dinheiro.[6]

Em 10 de maio, seu rival Psycl0n foi preso pela segunda vez (adquirindo o direito de pedir música no Fantástico) junto de outros comparsas do fórum Dogolachan pela Polícia Federal, através da Operação Bravata. O chan sofreu instabilidade por causa dos federais e chegou a sair do ar. Em um vídeo postado no YouTube, filmado por um comparsa dele no país um dia depois da prisão (11/5), Emerson aparece num restaurante nas Ilhas Baleares chamado Big Food comemorando a prisão de Marcelo e alegando que ele foi uns dos responsáveis pelas denúncias contra seu rival.

Na época da prisão do "quadrilhão do Dogolachan", a Operação Bravata também tinha como alvo o próprio Emerson, mas de condução coercitiva, já que seu nome é associado à quadrilha brasileira que atua na internet com o objetivo de difamar e ameaçar pessoas famosas, o que põe em dúvida as alegações do próprio após sair do Brasil. Alega-se que antes da prisão do "quadrilhão do Dogolachan" e na iminência de ir preso novamente, decidiu sair do país para formar uma nova quadrilha aos moldes do Dogola em outro país para não ser preso.

Desde que passou morar na Espanha, Emerson passou a defender abertamente que os brasileiros não votem e exijam em frente aos quartéis das Forças Armadas que os militares saiam de lá e intervenham para fazer a "faxina geral" nos três poderes antes das eleições de 2018. Passou a atacar mais Jair Bolsonaro do que qualquer outro político ou algum famoso, chamando-o de um monte de impropérios e fazendo falsas acusações, enquanto os ataques contra políticos ou famosos ligados ao establishment tanto pela direita ou da esquerda (como Fernando Haddad, Michel Temer, Geraldo Alckmin, José Sarney, Fernando Henrique Cardoso, entre outros) se tornaram ausentes em suas postagens e lives, virando praticamente um "novo Augusto Lima" (outro brasileiro desinformante que pede intervenção militar e ataca todos os políticos morando fora do Brasil, só que diretamente nos Estados Unidos; só que este hoje não é levado a sério), ganhando mais desafetos que resolveram parar de segui-lo e mandar mensagens nada amistosas nos comentários de suas lives, além de denunciar o perfil do intervencionista calunioso.[6]

Três meses depois da prisão do "quadrilhão do Dogolachan" em agosto, teve sua prisão decretada e se tornou oficialmente foragido da Justiça brasileira. Estranhamente, apesar de estar fora, ele não está incluído na lista de brasileiros foragidos no exterior pela Interpol, o que reforça suspeitas obscuras e indignação dos que acompanham o caso, das vítimas e seus inimigos que querem sua prisão.[52]

Os ataques constantes dele lhe renderam dois bloqueios no Facebook por conta das postagens políticas e pessoais: a primeira ocorreu em 1º de setembro, quando sofreu um mês de bloqueio no perfil (retornando apenas em 1º de outubro) e a segunda em 1º de novembro, com 45 dias de bloqueio (retornando em 15 de dezembro). Os bloqueios foram por causa dos inúmeros ataques contra Bolsonaro e postagens em que ameaça os políticos de direita e esquerda. Ou seja: antes e depois de Bolsonaro ser eleito, passou a defender abertamente outra intervenção militar (golpe de estado) para impedir as eleições e derrubar o governo legitimamente eleito.

Foi na época dos textões no Facebook e vídeos longos no YouTube que também entrou em atrito com diversos seguidores, ao postar contra os intervencionistas e as mulheres (ao invés de "feministas") com seu machismo já conhecido há anos, o que afastou ainda mais seus seguidores. Os poucos intervencionistas que tinham contatos com ele desde a época das manifestações contra Dilma Rousseff em 2015 romperam seus vínculos após descobrirem seu passado duvidoso e perceberem suas incoerências políticas.[6]

Em janeiro de 2019, Emerson fez duas lives direto da Espanha através do Facebook para atacar e ameaçar o deputado reeleito Jean Wyllys de forma homofóbica e pessoal, acusando-o de crimes relacionados a corrupção e pedofilia, sem apresentar nenhuma prova nas suas transmissões. Os ataques dele foram o estopim para que Jean Wyllys anunciasse sua renúncia ao mandato e desististe do seu terceiro mandato (26 de janeiro) uma semana antes de assumir, permitindo que seu marionete e jornalista brasileiro de passado duvidoso David Miranda assumisse seu mandato (1º de fevereiro) graças ao quociente eleitoral. Após as ameaças, Wyllys decidiu então arregar do novo mandato, renunciando e saindo do Brasil.

Em 11 de fevereiro, o site Universa afirmou que a quadrilha virtual que faz ameaças contra Jean Wyllys, esquerda em geral e feministas é a mesma que faz ameaças semelhantes a quem é de direita[49] (o que desmancha as alegações da esquerda desde 2011 de que a quadrilha é ligada aos grupos de direita e de extrema-direita) e o site afirma que as ameaças são dirigidas contra as deputadas federais Carla Zambelli e a Joice Hasselmann.[49] Antes de virarem políticas, Carla Zambelli foi ativista feminista da FEMEN e Joice Hasselmann foi jornalista. Ambas relatam ameaças por e-mails: Zambelli relata ameaças de morte, estupro e até sequestro do filho de 11 anos, enquanto Hasselmann relata ameaças de morte e estupro.[49] Ambas receberam ameaças nos e-mails semelhantes em nome de "Emerson Eduardo Rodrigues Setim".[6]

No mesmo mês, a imprensa brasileira relatou que Jean Wyllys planejava se refugiar na Espanha. A notícia provocou especulação nas redes sociais por seus apoiadores e críticos de que ele teria iniciado uma operação própria para capturar (ou até agredir) pessoalmente Emerson. Em março, a mesma imprensa relatou que Wyllys foi para a França após receber novas ameaças de morte contra a família na Espanha, provocando novamente especulação de que ele havia desistido da operação, que seria risco até pra ele.

Em março, antes e depois de Jair Bolsonaro visitar os Estados Unidos e se encontrar com Donald Trump, vídeos gravados e textos postados em suas contas no Facebook e no YouTube em que fala sobre a visita foram considerados contraditórios e tendenciosos.[6] Usando como pretexto para defender a intervenção militar no Brasil para fazer "faxina geral nos três poderes" e fazer acusações falsas em xingamentos e ataques o mandatário brasileiro (como sempre acontece), o chamou de entreguista por se sujeitar aos interesses americanos e ao mesmo tempo elogiou excessivamente o Trump, não só como presidente mas por outros motivos, além de sugerir ao mandatário americano nunca ter recebido o brasileiro. As controversas declarações dele contra a visita do mandatário brasileiro ao homólogo americano fizeram surgir seu surto antiamericano e tiveram reações muito negativas dos poucos seguidores nas redes sociais (principalmente no Facebook) e inclusive surpreendeu até seus inimigos mortais. Apesar de ambos os mandatários serem de direita (além de fato serem antiestablishment e antiglobalistas), em nenhum momento, nunca fez alguma menção se apóia partidos ou pessoas favoráveis de fato a verdadeira direita (Ver Controvérsias).

Na manhã do dia 13 de março, dois ex-estudantes do Colégio Raul Brasil, na cidade de Suzano, entraram no local e realizaram um massacre contra estudantes e professores, matando 8 e cometendo suicídio em seguida. Após o massacre, Emerson foi citado como um dos líderes que teriam incentivado o massacre nas reportagens da Bandeirantes (Brasil Urgente) no dia 15 e Globo (Fantástico) no dia 17.[53][54] Em resposta, através de postagem no Facebook em 18 de março, Emerson anunciou ter contratado advogados no Brasil para processar a Bandeirantes e a Globo.

Emerson numa live do YouTube em 18 de março de 2019, quatro dias antes da conta ser suspensa.

No entanto, ao atacar Jair Bolsonaro e os Estados Unidos durante sua visita a Donald Trump que fez contradizer o apoio ao mandatário americano e ter seu nome implicado ao Massacre no Colégio Raul Brasil, seu perfil no Facebook e o canal no YouTube estavam sendo denunciados por usuários brasileiros sem que ele soubesse.[6] Os usuários perceberam que ele é um criminoso foragido após as emissoras de TV (Bandeirantes e Globo) mostrarem reportagens que o descrevem como parte da quadrilha virtual que difama gente de todo tipo e promove discurso de ódio. Ele passou a receber mensagens de ameaças e ódio após os internautas que decidiram investigar seu passado postarem nos comentários um link de vídeo do YouTube mostrando uma reportagem antiga sobre sua prisão em 2012 junto de seu comparsa.

Em 22 de março, justamente no dia em que completou seis anos da Operação Intolerância que levou à sua primeira prisão, teve suas contas do Facebook (criada no início de julho de 2018) e do YouTube (criada no início de abril de 2018) suspensas devido às denúncias realizadas por internautas enfurecidos com as declarações dele sobre a visita de Bolsonaro aos EUA para se encontrar Trump e as reportagens sobre o massacre no Colégio Raul Brasil nas semanas anteriores. A exclusão o impediu de fazer suas prometidas revelações bombásticas sobre as deputadas Joice Hasselmann e Carla Zambelli que havia prometido há semanas. Todas as lives e as fotos postadas nessas redes sociais foram excluídas e perdidas para sempre.

Após a exclusão nas redes sociais, Emerson voltou à internet menos de uma semana depois com o canal reserva e de lives no YouTube (com ajuda de seus comparsas brasileiros que são seus fãs) para atacar, ameaçar, chantagear e xingar seus inimigos de tudo que é nome, incluindo figuras como Lola, Jean Wyllys, Joice Hasselmann, Carla Zambelli, incels, chans, o PSL (que chama de falsa direita e partido socialista), Cabo Daciolo, General Mourão, Jair Bolsonaro e familiares, feministas e por aí vai. Mas seu canal reserva de vídeos e lives também começou a ser alvo de denúncias até ser suspenso no dia 5 de abril. A nova suspensão contribuiu para o novo desfalque para ele, embora haja outros comparsas (como visto aqui ou aqui) o ajudando, mas isso não o impediu de voltar ao YouTube. No dia 8 de abril, criou novo canal e voltou a postar novos vídeos, além de reupar os que haviam sido suspensos com a conta antiga (22/03) e a reserva (05/04). Voltou com dois canais nos dias 10 e 11 do mesmo mês. No entanto, deixou de postar vídeos nas três contas no mesmo mês e desde então, estão abandonadas.

Em 24 de abril, uma postagem no portal comunitário da Wikinet feita através do IP 85.59.44.94, de alguém que alega ser o próprio Emerson Eduardo Rodrigues Setim, ameaçou processar a Wikipédia (what?) se não retirassem em 24 horas sua biografia que ele alega ser caluniosa, deixando até telefone e e-mail para contato.[6][55]

REMOCAO DO MEU NOME URGENTE

Senhores,

Entro em contato antes de tomar medidas judiciais contra a WIKIPEDIA.

Exijo que em um prazo de 24 horas seja retirado todo e qualquer conteudo com o nome de EMERSON EDUARDO RODRIGUES ou EMERSON EDUARDO RODRIGUES SETIM seja retirado do seu site.

NAO AUTORIZO que qualquer imagem ou mencao ao meu nome seja colocada nesse site, já que estao usando de modo apócrifo com o objetivo de me caluniar de forma aleivosa e insidiosa.

Para maiores contatos: +34-602-016874 ou [email protected]

A ousadia foi tanta, que a mensagem ficou por uma hora e dois minutos[55] até ser revertida por outro editor,[56] que mandou processar a Wikipédia[56] e bloqueou o IP por uma semana. O IP em questão era da Espanha (entre Madri[57] e Barcelona[58]), o que supõe que o autor da ameaça judicial era realmente Emerson, alguém se passando por ele ou orientado por ele que não gostou da sua biografia na Wikinet, a qual a Wikipédia jamais ousou publicar. A Wikinet, é claro, não aceitou as ameaças de processo, já que ele as dirigiu contra a Wikipédia, cuja sede fica nos Estados Unidos.

Em 26 de abril, em um vídeo no YouTube, alegou ter sido convidado para participar do programa Pânico da rádio Jovem Pan, feito por uma produtora ligada a Emílio Surita, para dar sua versão sobre as acusações feitas por Joice Hasselmann e Carla Zambelli de que ele teria lançado ameaças de morte da Espanha entre fevereiro e março. Apesar de mostrar as provas do convite, seus inimigos nos chans e nas redes sociais questionaram a veracidade da informação e do tal convite, já que ele não pode voltar ao Brasil ou se defender das denúncias caluniosas que faz na internet (os motivos mencionados) e que até agora nunca deu algum telefonema à rádio, apesar das promessas.

Durante o mês de maio, voltou ao Facebook usando perfil com nome de "Renan Maldonado" (que depois mudou para "Emerson Eduardo Rodrigues"). O perfil havia sido criado em 2015 e continha as informações de datas que ele esteve no exterior, mas não tinha nenhuma postagem desde essa época até o início de maio.[13][14][15][16][50][51] Há suspeita de que esse perfil foi feito não por Emerson, mas por algum simpatizante que o emprestou para seu uso próprio, ou que ele fez perfil fake para que ninguém o descobrisse e denunciasse. Como nas contas anteriores, manteve as mesmas postagens contra Bolsonaro e a direita que governa o Brasil, que ele classifica como "falsa direita", demonstrando entender mais a política brasileira morando em outro país, até ter o perfil suspenso pelo Facebook no final do mês após denúncias.

Desde que teve sua conta no Facebook suspensa, nunca mais criou outro perfil, além de deixar de fazer vídeos, sem a mesma atividade que tinha nas suas contas no ano passado. O canal de 8 de abril foi suspenso por violações recorrentes da política que proíbe discurso de ódio, pois continha vídeos que pregava violência contra direitistas e esquerdistas.

No dia 11 de julho, o FBI emitiu um documento que mostrando a devolução dos pertences que foram apreendidos de Emerson para análise. Um notebook, um disco rígido de 4 TB e um cartão de memória de 32GB foram enviados de volta para a casa de sua mãe, em Curitiba. Emerson diz que tal documento é uma das provas de que o FBI o reconheceu como inocente das ameaças de bomba ocorridas em 2017. [59]

No final de julho, criou conta em outra plataforma de vídeos chamada de UGETube, numa tentativa de contornar sucessivos bloqueios e suspensões de contas no YouTube, fazendo o de sempre: atacando e acusando os líderes direitistas que classifica como "falsa direita" que estariam por trás de incriminar o próprio através dos hackers, sem apresentar nenhuma prova das acusações, além de divulgar vídeos da filha que teve no Brasil, virando espécie integrante 2.0 da famigerada "resistência" e liderando seus poucos seguidores na internet para atacar seus desafetos.

Em 21 de dezembro de 2019, postou um vídeo[4] em que atacou vários de seus desafetos e também este artigo da Wikinet, dizendo ser mentiroso e financiado pelo Bolsonaro. No entanto, afirmou que não se importa mais em remover o conteúdo pois o livro que ele diz estar escrevendo irá não só desmentir todas essas informações, mas também levar todos os seus desafetos à perdição. Disse que vai conseguir fazer Bolsonaro ser preso, linchado e abandonado pelos próprios filhos. Também afirmou que estava planejando lançar uma fake news sobre a morte de Silvio Santos que seria um clickbait levando a um texto desmentindo falácias sobre ele e atacando seus desafetos; ele só não teria conseguido realizar essa proeza por causa da morte de Gugu Liberato em 22 de novembro.

Em janeiro de 2020, Emerson mostrou em vídeo e-mails de um sujeito com o nome de "berberde" se identificando como a pessoa por trás tanto de GOEC como de DPR e ameaçando sua filha de estupro com uma barra de ferro, entre outras coisas. Nos e-mails, o sujeito em questão nega ser Fernando Vallier, mas exige que Emerson remova todas as denúncias que fez contra Vallier pela Europa. Emerson não diz ter dúvidas de que GOEC e DPR são ambos nicknames de Fernando Vallier.[60] Sendo assim, Emerson declarou guerra a Vallier e Camila Bathke, dizendo que vai lutar para colocar os dois na cadeia (e possivelmente Coelho também) até maio, além de pedir para os editores da Wikinet removerem dados pessoais do seu artigo e colocarem informações adicionais que provariam o seu ponto de vista.[61]

Versão de Emerson

Emerson conta alguns dos fatos aqui relatados de uma maneira um pouco diferente.

Sobre a briga com Coelho

Marcelo e Coelho não paravam de atacar o Emerson pelo Dogolachan, então Emerson tentou fazer um false flag e fingir para Marcelo e Coelho de que queria se unir às suas jorgices. Logo depois, Emerson deixou isto de lado pois tinha supostamente descoberto sobre o encontro de Marcelo com Bolsonaro para organizarem um plano para criar a BolsoCoin.

Emerson teria passado a atacar Robson quando ele foi com uma faca e um celular para a casa do Marcelo. Ele disse que iria matar o Marcelo e filmar para depois postar na internet, mas acabou vendo Marcelo e Robson entrando dentro de um carro para passearem em Curitiba, o que levou Emerson a atacar Robson.

Sobre o FBI

Em sua versão, um agente do FBI teria ligado para ele e perguntado sobre o ataque das impressoras. Emerson teria contado tudo para o agente, que minutos depois chegou em sua casa com uma limousine e pegou seus eletrônicos para os investigar (MBA). Emerson deu a eles uma entrevista sobre o ocorrido e, após meses, eles entregaram seus eletrônicos de volta e permitiram com que Emerson continuasse nos Estados Unidos.

Sobre estar foragido

Emerson disse que foi um erro técnico ter seu nome como procurado na Operação Bravata, que resultou a prisão de Marcelo. Ele também disse que pretende voltar para o Brasil e que não tem medo da Polícia Federal.

Controvérsias

Emerson possui uma visão de mundo que pode ser chamada de mista, pois combina algumas opiniões consideradas antagônicas por diferentes correntes políticas, religiosas, entre outras. Suas posições muitas vezes se contradizem, fato que é denunciado pelos seus inimigos, desafetos e aqueles que foram enganados por ele.

Contradições como conservador e direitista

Apesar de defender o conservadorismo, a direita e o cristianismo, posições políticas e religiosas que defendeu diferentes vezes se contradizem. Alguns de diversos exemplos:

  • Defende o conservadorismo, mas casos como sua prisão em 2012 (por postagens consideradas preconceituosas e até absurdas) e em 2017 (por imigração ilegal e outros crimes) vão contra suas declarações, que não são defendidas pelos conservadores.
  • Defende a direita, mas ataca mais os políticos e pessoas direitistas do que a esquerda, além de defender pautas que nunca foram defendidas pela direita (como o establishment e os antiglobalistas).
  • Defende a intervenção militar, mas ataca os intervencionistas.

Antipetista e pró-tucano

Em 2013, na tentativa esconder seu passado duvidoso por causa da prisão em 2012, passou a aparecer em fotos e vídeos falando mal da Dilma Rousseff e o Partido dos Trabalhadores, chegando a defender abertamente que o PSDB volte a presidir o Brasil, além de encontrar pessoas e políticos tucanos, chegando a defender Aécio Neves e Beto Richa (ambos do PSDB).

Em 2015, sem nenhum motivo aparente, passou a defender Jair Bolsonaro como próximo presidente do Brasil, mas seu apoio foi curto, pois no final do mesmo ano, Marcelo e um homem conhecido apenas como "Coelho" viajaram de carro de Curitiba para o Rio de Janeiro para ajudar Emerson a tirar o visto de seu passaporte. Só que Marcelo descobriu que Emerson pretendia ver o então deputado federal Bolsonaro num encontro que já estava marcado e contou para Coelho. Ambos, então, decidiram então se vingar dele contando aos assessores do deputado sobre o passado duvidoso de Emerson.

Após Bolsonaro ser alertado pelos assessores (graças à denúncia dos amigos da onça), se recusou a recebê-lo no dia do encontro marcado, humilhando outro oportunista que tentava se aproveitar sua imagem pra crescer. Emerson, então, foi obrigado a voltar com Marcelo e Coelho. Já de volta a Curitiba, eles revelaram a Emerson o que tinham feito e a descoberta do próprio um vídeo que a dupla fez falando mal da filha dele.

As revelações foram o estopim da nova briga entre Emerson e Marcelo (dessa vez envolvendo também Coelho) e, desde então, a dupla dinâmica das jorgices nunca mais se falou. Algum tempo depois, Emerson passou a atacar Bolsonaro em seus vídeos e textos nas redes sociais (Facebook, Twitter e YouTube), dizendo que ele faz parte da "falsa direita" desde então até hoje.

No entanto, quando o PSDB se opôs ao impeachment da Dilma Rousseff (2015) e a alta cúpula tucana ser atingida pelas investigações da Lava Jato que levaram a começarem a caírem em desgraça pública (2016-17), em nenhum momento ele denunciou o PSDB como a falsa direita (já que o PSDB e o PT têm acordo nos bastidores da "estratégia das tesouras" desde 1989). Ele defende o corrupto Beto Richa, preso três vezes por mandar assaltar os pagadores de impostos nos pedágios do Paraná, e inclusive aparece numa foto tirada com ele em 2014. Em anos recentes, passou a criticar e fazer comentários duvidosos e ameaçadores contra políticos de direita e esquerda (ver Lista de inimigos declarados).

Sobre os homossexuais

Emerson diz não ter preconceito contra homossexuais (gays e lésbicas). No entanto, diz ser contrário a qualquer direito especial deles e que os considera uma anomalia a ser curada. Além disso, ataca e acusa sem provas Jean Wyllys (ex-BBB e ex-político homossexual brasileiro) com palavras de baixo calão de forma homofóbica e pessoal.

Apoio à imigração (ilegal?) na Europa

Apesar de se declarar um cristão que defende uma Europa cristã contra os governos de esquerda, apoia algo que um direitista (antiestablishment e antiglobalista) jamais apoiaria: a imigração dos árabes de religião muçulmana do Oriente Médio para Europa. Ele alega que não considera a imigração árabe e islâmica um problema, usando como alegação um fato que não se sustenta para alguém que diz ser de direita: ter feito amizade com vários muçulmanos na Espanha.

Esta absurda decisão em apoiar a imigração usando como argumento ter feito amigos árabes contraria suas posições políticas (supostamente de direita) e religiosas (supostamente cristãs), além da prática (ele foi preso e deportado dos EUA em 2017 por imigração ilegal e outros os crimes). Apesar disso, ele se recusa a comentar sobre o lado negativo da imigração denunciando pelos antiestablishment e os antiglobalistas (direita, cristãos, anti-imigração), além dos próprios árabes e muçulmanos (que são contrários à imigração dos seus cidadãos ao continente europeu).

No entanto, denúncias e acusações feitas desde 2015 de que a imigração descontrolada dos africanos e árabes a Europa começou a ser incentivada pelos países governados pelos políticos (de direita, esquerda e centro) alinhados ao globalismo (pró-imigração, multiculturalistas, politicamente correto, pró-LGBTs, pró-sindicatos, pró-socialismo, pró-União Europeia etc.). Desde então, a imigração descontrolada começou a ser incentivada pelos aliados do globalismo, o que resultou em diversos casos de crimes (assaltos, roubos, furtos etc.) e até terrorismo (como aqueles praticado pelo Estado Islâmico contra França e Alemanha).

Ao se posicionar a favor da imigração (incluindo descontrolada, mesmo não mencionando isso) que não tem apoio dos ativistas anti-imigração (direita, cristãos, nacionalistas) e até imigrantes naturalizados (árabes e africanos), ele demonstra ser de fato a favor globalismo (mesmo também não mencionando explicitamente isso).

Fake news e desinformação nas redes sociais

Desde que começou participar de redes sociais na internet, há mais ou menos uma década, foi acusado de espalhar fake news e desinformações. Isso ocorreu inclusive na época das eleições de 2018. Nos tempos que estava com perfil no Facebook (2018-19), compartilhava informações e notícias de qualidade duvidosa vindas da esquerda (Carta Capital, Catraca Livre, Mídia Ninja etc.) e da grande mídia, além de fake news aliadas à falsa direita (os grupos Globo, Estadão, Folha, entre outros), quando era noticiada alguma irregularidade (verdadeira ou falsa) de políticos de direita (principalmente Jair Bolsonaro).[nota 12]

Mesmo sendo contra esta corrente ideológica da esquerda ou da falsa direita, é possível que ele espalhava essas desinformações por ser financiado por algum intervencionista para atacar e dividir a direita (como tentar impedir a vitória do Bolsonaro), o que supõe que ele apoia indiretamente que Fernando Haddad ou algum candidato do establishment (do agrado da direita, esquerda e da grande mídia) seja o novo presidente. Os vídeos e textos demonstram sua verdadeira intenção de acordo com seus inimigos que o denunciam como uma "quinta coluna", "infiltrado", "criminoso", "foragido".[nota 12]

Declaração sobre a visita de Jair Bolsonaro a Donald Trump nos Estados Unidos

Em março de 2019, antes e depois de Jair Bolsonaro visitar os Estados Unidos e se encontrar com Donald Trump, vídeos gravados e postados em suas contas no Facebook e YouTube em que fala sobre a visita foram considerados contraditórios e tendenciosos.[6] Usando como pretexto para defender a malfadada intervenção militar no Brasil para derrubar Bolsonaro, acusou falsamente, com xingamentos e ataques, o mandatário brasileiro de ser um entreguista e se sujeitar aos interesses americanos.[6] Mas ao mesmo tempo, estranhamente, elogia Trump em excesso por outros motivos, além de dizer que preferiria que o mandatário americano não tivesse recebido o brasileiro.

As declarações e postagens contra a visita de Jair Bolsonaro e elogios a Trump tiveram reações negativas imediatas pelos seus seguidores (principalmente no Facebook), desencadeando uma grande controvérsia criada desnecessariamente em torno de si mesmo.[6] Ele acabou contradizendo o apoio que diz ter a Trump em postagens de textos e vídeos, em que dizia ser um "trumpista" desde os tempos das eleições americanas em 2016, provocando uma grande treta com seus seguidores que apoiam o mandatário americano e a visita do mandatário brasileiro.[6]

Por causa de suas postagens controversas, ele perdeu centenas de seguidores em poucos dias (aumentando ainda mais seu número de ex-fãs e haters), já que eles apoiavam a aliança conservadora de Trump-Bolsonaro (ou "BolsoTrump"). Começaram a questionar se ele era realmente um "direitista de carteirinha", acusando de ser um desinformante da famigerada falsa direita, a ex-nova direita (que age para dividir a direita e manter a falsa briga com a esquerda), além de denunciar o perfil dele no Facebook.

Só que Emerson ignorava que seus ex-seguidores apoiassem a aliança conservadora dos mandatários americano e brasileiro, além de outros políticos que têm ideais semelhantes, o que ajudou os líderes partidários europeus e latinos mais à direita a conseguir resultados nas eleições recentes (contra a direita tradicional, esquerda e suas linhas auxiliares), já que os mandatários dos dois países e líderes da direita são antiestablishment e antiglobalistas, tendo surgido em anos recentes devido às crises (econômicas, sociais e políticas) que seus países enfrentavam.

Os curiosos (que nem eram haters ou ex-fãs) aproveitaram mais uma contradição para insinuarem que ele também atacava os Estados Unidos e afirmar que ele agiu em interesses obscuros (já que as declarações são semelhantes aos discursos antiamericanos). Graças essa mancada, voltaram à tona (para seu desespero) as confusões em que ele se meteu nos EUA de 2016 a 2017, quando entrou naquele país como "asilado político" e saiu "deportado" (por imigração ilegal e golpes contra brasileiros), sendo proibido de entrar no país por cinco anos, além de outros crimes que levaram a sua primeira prisão.

Lista de inimigos declarados

As seguintes pessoas, em algum momento, passaram a serem alvos dos ataques de Emerson. Alguns deles por serem, para ele, parte de uma quadrilha que abafa a pedofilia e a corrupção política (seja a esquerda ou a direita) no Brasil. No entanto, as acusações feitas por ele nunca foram provadas, razão pela qual ele é alvo de dezenas de processos.

  • Marcelo Valle Silveira Mello, criador do Dogolachan e pioneiro da jorgice no Brasil;
  • Nando Moura, músico, roqueiro e YouTuber;[11]
  • Olavo de Carvalho, escritor, YouTuber, entre outros.
  • Jair Bolsonaro, atual Presidente da República,[11] e todos os filhos dele;
  • Ana Caroline Campagnolo, deputada estadual de Santa Catarina e professora universitária de história;
  • Lola Aronovich, blogueira feminista e professora da UFC (não de luta marcial, da Universidade Federal do Ceará);
  • Joice Hasselmann, ex-jornalista e atual deputada federal;[49]
  • Rafaela de Almeida Vivas Silva, sua ex-amante;
  • Camila Bathke, prostituta e ex-usuária do Dogolachan;
  • Robson "Otto" Aguiar, blogueiro;
  • Technomage, channer;
  • Sérgio Moro, ex-juiz e atual ministro da Justiça;
  • Marcelo Crivella, prefeito do Rio de Janeiro filiado ao PRB;[4]
  • Carla Zambelli, ex-feminista e atual deputada federal;[49]
  • Rômulo Maraschin, Youtuber terraplanista e conspiracionista;[11]
  • Thiago Lima, ocupação desconhecida;[11]
  • Humberto Volts, blogueiro e vlogger;[11]
  • Loryel Rocha, ocupação desconhecida;[11]
  • Dom Werneck, ocupação desconhecida;[11]
  • Além da Nuvem, canal de vídeo conspiracionista;[11]
  • Tiu Lu, canal de vídeo;[11]
  • Júlio Severo, blogueiro e ativista pró-família, refugiado nos Estados Unidos desde 2009;
  • Francisco Demilson de Oliveira, YouTuber e dono do canal "Perguntar Não Ofende";
  • Jean Wyllys, ex-deputado federal e refugiado em países europeus;
  • Cabo Daciolo, ex-deputado e candidato evangélico a presidência nas eleições de 2018;
  • General Hamilton Mourão, vice-presidente do Brasil;
  • Danilo Gentili, humorista e apresentador de TV;
  • A Polícia Federal do Brasil, que diz ser corrupta;
  • entre outros.

Curiosidades

  • Emerson alega possuir a cidadania espanhola e que está imune de extradição ou prisão (Aham...).
  • Emerson costuma chamar o Brasil de "Bostil" e diz que nunca voltará a pisar no país (Aguarde...).
  • Antes da Espanha, Emerson já morou nos EUA, México, El Salvador, Índia, Quênia, Filipinas e vários outros países.
  • Nos EUA, ele já morou em Chicago, Las Vegas, Boston, Nova Jérsei e Rhode Island.
  • Trabalhou como técnico para várias empresas, incluindo Ericsson, Nokia, Siemens, Alcatel, Huawei e operadoras de telefonia.
  • Espiritualmente, diz ser cristão e acreditar em reencarnação.
  • Afirma ter acumulado mais de €600 mil em espécie (Aham...).
  • Afirma falar fluentemente seis idiomas, dentre os quais português, inglês, espanhol, francês e alemão.[4]
  • Afirma ser o escritor conhecido pelo pseudônimo Nessahan Alita (Aham...) mas os fãs de Alita não acreditam nessa história, pois as declarações de Emerson sobre as mulheres contradizem com os livros do escritor.
  • Afirma que, durante seu envolvimento sexual com Joice Hasselmann, ela gostava bastante de fazer sexo anal e uma vez chegou até a defecar na sua barriga, fato que teria acontecido num hotel em São José dos Pinhais - PR.
  • Quando Emerson estava na Índia por volta de 2010, Rafaela lhe enviou um vídeo sendo gangbangeada por vários negros e dizendo que todo homem branco devia ser sodomizado. O vídeo inteiro tem 18 minutos e está perdido para sempre, mas um pequeno trecho pode ser encontrado no XVideos.[nota 13] Ao ver o vídeo, Emerson teve um ataque de raiva e gravou o famoso vídeo da Índia em que faz várias declarações preconceituosas e racistas sobre o país para enviar a ela como resposta. Para seu desespero, Rafaela disponibilizou seu vídeo infame na internet, que é usado pelos seus inimigos até hoje para demonstrar que ele é preconceituoso e racista (há muitas cópias desse vídeo), coisas das quais alega ter se arrependido depois (Aham...).
  • Tinha um monte de blogs, um para cada assunto que achava dominar. Como já era de se esperar, ninguém nunca deu uma foda.

Dados

  • Nome completo: Emerson Eduardo Rodrigues Setim[1]
  • Nascimento: 05/03/1978, Curitiba, PR[1]
  • Número: +34-602-016874 (atual); antigos: 57-310-2424399, (41) 3335-1971 e (41) 3666-0106
  • Documento de Identidade atual: Tarjeta de Solicitante de Asilo nº Y6384763C
  • E-mail
  • Skype: eng.emerson.eduardo.rodrigues (inativo)

Galeria

Montagens

Notas

  1. O nome de nascimento é Emerson Eduardo Rodrigues. O final Setim ele acrescentou ao se casar com Franciele Aparecida Gonçalves Araújo Setim em 2012. Apesar do divórcio, "Setim" ainda consta em seus documentos.
  2. 2,0 2,1 2,2 Esse monte de nomes facilita que a Wikinet seja sempre a primeira nas buscas do Google, Bing, DuckDuckGo, Yahoo, entre outros, sobre a biografia que a imprensa brasileira tem preguiça de investigar e publicar (hehehe...).
  3. Muito semelhante às acusações de envolvimento do Dogolachan com o Massacre de Suzano, que viriam a ocorrer oito anos depois.
  4. Uma das poucas boas neste blog "Silvio Koerich fake" acertou o que a Rede Globo seria dentro de alguns anos, quando passou a defender pautas esquerdistas e globalistas.
  5. 5,0 5,1 A imprensa brasileira não se interessa em acompanhar os processos judiciais dos criminosos presos (já que demoram) e acompanhar andamento de casos em segredo judicial é crime. Quando os criminosos voltam aos crimes, a imprensa já esqueceu que publicou seus nomes anos atrás. Isso não foi visto como os casos do Mensalão, Lava Jato ou até mesmo casos de assassinatos que geraram repercussão nacional (como o recente caso da morte de Marielle Franco e seu motorista Anderson Rodrigues).
  6. Acreditem se quiser: Emerson e Marcelo foram soltos graças ao indulto presidencial feito no final de 2012 pela então presidente Dilma Rousseff, considerada inimiga pela dupla.
  7. Na verdade, o PT e o PSDB são os partidos políticos usados na estratégia das tesouras dos partidos, já que o vermelho (PT) representa a esquerda radical (supostamente esquerda) e o azul (PSDB) a esquerda moderada (supostamente direita). Ambos os partidos têm o objetivo monopolizar e polarizar posições políticas, além de criar partidos de linha auxiliar, para impedir outros partidos (seja a direita ou esquerda, que são nacionalistas ou anti-sistema que repudiam este esquema) assumam o poder, além de implantarem o socialismo fabiano para submeterem potências estrangeiras com leis duvidosas e questionáveis à sociedade civil. A crise econômica e o envolvimento de pessoas dentro e fora dos partidos na Lava Jato (desde 2014) contribuíram a derrota dos dois partidos e seu co-adjuvante MDB (ex-PMDB), terminando oficialmente em 1º de janeiro de 2019, quando pela primeira vez desde a redemocratização, um partido (PT, PSDB ou PMDB) ou lideranças favoráveis ao chamado "globalismo", não conseguiram logar a presidência.
  8. O tal livro "Os Sofistas da Direita: Falsos Defensores da Liberdade" que Emerson promete desde 2014 (!!!) nunca foi lançado no Brasil. De acordo com o próprio autor do suposto livro, tem conteúdo em que questiona o movimento da direita no Brasil.
  9. Até lá, o Brasil viraria uma "nova Venezuela"... Digo, uma "Brasilzuela"... por culpa do PSDB.
  10. 10,0 10,1 10,2 10,3 O Governo Trump iniciou tolerância zero aos imigrantes ilegais e criminosos foragidos, mas a turma do politicamente correto e a imprensa fake news preferiu se referir a "imigrantes ilegais" simplesmente como "imigrantes" ou "indocumentados" (de onde tiraram esta palavra???), um flagrante apoio à imigração descontrolada que existe na Europa e que coloca os milhões de imigrantes legais como criminosos. Graças à política de tolerância zero, a imigração ilegal caiu 95% na fronteira com o México (voltando os índices de 1963, quando começaram os dados, depois que os cubanos começaram a fugir para os Estados Unidos) e aumentou a prisão em massa dos criminosos, que chegaram a quase 5 mil em menos de dois anos.
  11. Sim, é verdade: Se você resolver imigrar ilegalmente e passar do limite no território americano como "turista" ou "visitante", será preso. Além de ser preso em uma ala de ilegais, será expulso do país (isso se não cometer algum crime violento) e no dia seguinte começará a conta de cinco anos de proibição de entrar no país.
  12. 12,0 12,1 Quem é crítico do atual sistema político estabelecido após com o fim da Guerra Fria ou de regime fechado de algum país e que não compactua com a corrupção na esquerda e direita (a dita "falsa briga"), jamais compartilharia postagens nas redes sociais da imprensa que é a favor desse sistema político. É como se um esquerdista compartilhasse notícias de sites de direita ou centro-direita que atacam a falsa direita ou um direitista compartilhasse notícias de sites de esquerda ou centro-esquerda que atacam a extrema-esquerda ou um esquerdista.
  13. E upado pelo próprio Emerson. Acesse xvideos/video45902865/rafaela_de_almeida_vivas_silva_rio_de_janeiro_jungle_fever_com_os_negros

Referências

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 https://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/wp-content/uploads/sites/41/2019/01/1_DENUNCIA1.pdf
  2. Dono de site racista pode ter participação em homicídios. O Globo, 23 de março de 2012
  3. 3,0 3,1 3,2 3,3 ETDT, [ENTREVISTAS]:EMERSON EDUARDO RODRIGUES SETIM. ETDT, 19 de junho de 2015.
    No entanto, de acordo com o entrevistador após ser enganado, algumas acusações que ele faz não tem provas, mas não cita quais as partes, chamando-o de um "completo demente e esquizofrênico".
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 4,4 4,5 DESMENTINDO #WIKINET #WIKIPEDIA #MILICIAVIRTUAL # BOLSONARO #CPIFAKENEWS. YouTube. Publicado em 21 de dezembro de 2019.
  5. 5,0 5,1 5,2 CASO BLOG SILVIO KOERICH - EMERSON EDUARDO RODRIGUES B.O.Animal. 20 de dezembro de 2011
  6. 6,00 6,01 6,02 6,03 6,04 6,05 6,06 6,07 6,08 6,09 6,10 6,11 6,12 6,13 6,14 6,15 6,16 6,17 6,18 6,19 6,20 6,21 6,22 6,23 6,24 6,25 6,26 6,27 6,28 6,29 6,30 6,31 6,32 6,33 6,34 6,35 6,36 6,37 6,38 6,39 Sparky Lurker. Emerson Eduardo Rodrigues Setim / Engenheiro Emerson / Capataz Sancto / Engenheiro Mijão / Pedolão - Contos da "redenção" de um ex-capataz sancto nos chans brasileiros. Kiwifarms, 9 de maio de 2019
  7. TJ/RJ Consulta Processual do nº 0176053-13.2009.8.19.0001
  8. Operação Intolerância prende responsáveis pelo blog Silvio Koerich Polícia Federal, 22 de março de 2012.
  9. 9,0 9,1 Anexo_02-1.pdf Regulamentação de visitas de Emerson com sua filha Izabella
  10. Super User. Condenado por incitar a violência, Emerson Eduardo Rodrigues é assessor do candidato a deputado federal Matheus Sathler (PSDB/DF), autor do “Kit Macho”, Editora Derives, 30 de Setembro de 2014
  11. 11,0 11,1 11,2 11,3 11,4 11,5 11,6 11,7 11,8 11,9 Emerson Eduardo Rodrigues Setim (preso pela polícia federal)!, Humberto Volts
  12. Tupan (BLOG DO TUPAN). Homem é agredido após protestar contra Dilma, Bem Paraná, 17 de Outubro de 2014, 18:24
  13. 13,0 13,1 Mudou-se para Manila (Filipinas)
  14. 14,0 14,1 14,2 Mudou-se para Las Vegas
  15. 15,0 15,1 Mudou-se para Chicago
  16. 16,0 16,1 Mudou-se para Boston
  17. 17,0 17,1 17,2 17,3 17,4 Kristi OConnor, Foreign suspect sends bomb threat by fax to Meadowview Center in Kingsport The Daily Independent, 27 de maio de 2017
  18. 18,0 18,1 18,2 18,3 Grant Merrill. River Valley church, pawn shop targets of scam ‘bomb threat’
  19. 19,0 19,1 19,2 19,3 Two fake bomb threats target Russellville business and church The Local Rundown
  20. 20,0 20,1 20,2 20,3 20,4 Staff Report. North Miami Beach Jewish school evacuated after bomb threat WSVN, 28 de maio de 2017.
  21. 21,0 21,1 21,2 21,3 Staff Report. State Police investigate bogus bomb threat to newspaper printing plant Sentinel, 29 de maio de 2017.
  22. 22,0 22,1 22,2 22,3 David Rosenberg. 'Pay $25,000 or your yeshiva will be destroyed' Israel National News, 29 de maio de 2017, 12hs19min.
  23. 23,0 23,1 23,2 23,3 State Police investigate bogus bomb threat to newspaper printing plant The Daily Independent, 29 de maio de 2017.
  24. 24,0 24,1 24,2 24,3 CNHI News Service, Kentucky police investigate bogus bomb threat to newspaper printing plant Comercial News, 29 de maio de 2017.
  25. 25,0 25,1 25,2 25,3 CNHI News Service, Police investigate bogus bomb threat to newspaper printing plant Tribdem, 29 de maio de 2017.
  26. 26,0 26,1 26,2 26,3 Benjamin Paulin (The Patriot Ledger), Bomb threat to Whitman business determined to be hoax Wicked Local, 30 de maio de 2017 (postado às 11:11 e editado às 12:57).
  27. 27,0 27,1 27,2 27,3 Lisa Autry, Police Probing Weekend Threats to Kentucky Newspaper Offices WKYU-FM, 30 de maio de 2017.
  28. 28,0 28,1 28,2 28,3 Lisa Autry, Kentucky State Police investigating bomb threat at London newspaper printing plant WKYU-FM, 30 de maio de 2017.
  29. 29,0 29,1 29,2 29,3 Lee Revis e Valdez Star (editor), Bomb threat faxed to Napa store one of several across the US Valdez Star, 30 de maio de 2017.
  30. 30,0 30,1 30,2 30,3 JTA, North Miami Beach Jewish school evacuated over bomb threat Valdez Star, 30 de maio de 2017, 3hs42min
  31. 31,0 31,1 31,2 31,3 Dave Bartkowiak Jr., Bomb threat prompts evacuations at strip mall in Woodhaven Click on Detroit, 30 de maio de 2017, 9hs31min.
  32. 32,0 32,1 32,2 32,3 John Steckroth (editor), Head Start program on Chalmers Street briefly evacuated due to bomb threat in Detroit Click on Detroit, 30 de maio de 2017, 9hs31min.
  33. 33,0 33,1 33,2 33,3 John Steckroth (editor), Head Start program on McNichols Road briefly evacuated due to bomb threat in Detroit Click on Detroit, 30 de maio de 2017, 11hs01min.
  34. 34,0 34,1 34,2 34,3 Mara MacDonald (reporter), Dave Bartkowiak Jr., Derick Hutchinson, 4 bomb threats force evacuations at Metro Detroit businesses, schools Click on Detroit, 30 de maio de 2017, 12hs47min.
  35. 35,0 35,1 35,2 35,3 John Steckroth (editor), Engineering building at University of Detroit Mercy briefly evacuated due to bomb threat Click on Detroit, 30 de maio de 2017, 13hs52min.
  36. 36,0 36,1 36,2 36,3 Adam Sennott (correspondente), Bomb threat at Whitman business found to be a hoax Boston Globe, 30 de maio de 2017, 19hs39min.
  37. 37,0 37,1 37,2 37,3 Tara Molina. Email and fax bomb threats hit businesses in Fairview Park, Mentor News 5 Cleveland, 31 de maio de 2017, 15hs07min, atualizado às 17hs39min.
  38. 38,0 38,1 38,2 38,3 Staff. Nationwide e-mail, fax bomb threats scam hits Asheville Blue Ridge Now, 31 de maio de 2017, 13hs15min.
  39. 39,0 39,1 39,2 39,3 Staff. Local business receives scam bomb threat Chillico The Gazette, 2 de junho de 2017, 1:34
  40. 40,0 40,1 40,2 40,3 Haley Samsel. After bomb threat 'hoax,' universities face concerns about network security USA Today, 5 de junho de 2017, 16hs03min.
  41. 41,0 41,1 41,2 41,3 Ashish Malpani. Nationwide Bomb Threat Hoax Underscores Need for Print Data Security Campus Safety Magazine, 11 de setembro de 2017
  42. https://twitter.com/NC5_MTorres/status/868641997464227840
  43. Kim Leatherman (Staff Writer). Irvin heads to federal prison for bomb threat, child porn Campus Safery Magazine, 20 de abril de 2019
  44. 44,0 44,1 44,2 Man jailed on multiple counts Prairie Daily News
  45. DESMENTINDO A WIKINET EMERSONEDUARDORODRIGUES YouTube, publicado em 21 de janeiro de 2020.
  46. Ten locations I administer received bomb threat letter on networked Fax Printers. Reddit, 30 de maio de 2017, 10hs30min
  47. 47,0 47,1 47,2 47,3 EMERSON EDUARDO RODRIGUES SETIM FOI PRESO NOS EUA Robson "Otto" Aguiar, 15 de agosto de 2017
  48. Department of Homeland Security - Voluntary Departure
  49. 49,0 49,1 49,2 49,3 49,4 49,5 Marcos Candido. Ameaças feitas a Jean Wyllys também perturbam deputada de direita: "Pânico" Universa, 11/02/2019 04h00.
  50. 50,0 50,1 Mudou-se para Roma (Itália)
  51. 51,0 51,1 Mudou-se para Madri (Espanha)
  52. Não acredita? Clique aqui.
  53. Assassinos de Suzano buscaram orientação na Deep Web Brasil Urgente, Rede Bandeirantes, 15 de março de 2019.
  54. Deep Web: submundo da internet é zona de ódio e crime Fantástico, Rede Globo, 17 de março de 2019.
  55. 55,0 55,1 Wikinet:Portal comunitário. Wikinet, 24 de abril de 2019, 17h12min
  56. 56,0 56,1 Wikinet:Portal comunitário. Wikinet, 24 de abril de 2019, 18h14min
  57. WhatIs MyIpAddress
  58. Utrace
  59. Department of Justice - Receipt for Property
  60. QUEM É GOEC? YouTube, postado em 24 de janeiro de 2020
  61. RECEBI AMEAÇAS DE QUEM EU ESTOU DENUNCIANDO #DOGOLACHAN #GOEC #DPR #DEEPWEB YouTube, postado em 24 de janeiro de 2020