DoLaDoDeLá

De Wikinet
Ir para: navegação, pesquisa
Foto do Marco Aurélio Mello em 2010, a mais antiga que pode ser encontrada na internet, retirada pelo blog que hoje está fora do ar.

DoLaDoDeLá foi um blog brasileiro esquerdalha escrito por Marco Aurélio Mello, que apesar do nome não é o ministro do STF (que deveria ser Marco Aurélio DE Mello) e sim ex-diretor de jornalismo da Rede Globo que hoje trabalha na Rede Record.

Foi inaugurado em abril de 2006 e iria servir a defesa doentia dos governos Lula e mais tarde Dilma Rousseff, além da esquerda na América Latina na chamada "onda vermelha" ou "onda rosa" (que hoje em dia se chama América Latrina, depois que deixaram seus países em crise), quando os governos de esquerda estavam governando em diversos países, graças às alianças de grupos oligárquicos recém-convertidos à esquerda.

Após ser demitido em 23 de março de 2007 da Rede Globo,[1] passou a usar o blog pra perseguir uma antiga empregadora. Por ser tendencioso e mentiroso em suas postagens, acabou por ser alvo de dezenas de ações judiciais de muita gente que nunca deu amém pros corruPTos. O blog e seus satélites elegeram a principal vítima: Ali Kamel, diretor de jornalismo da Globo.

Entre 2009 a 2013, foram postadas acusações falsas (o que hoje em dia se chama fake news) contra ele, como aquela de que ele plantava pé de maconha no apartamento[2] e que foi ator pornô de um filme lá de 1980, e que a Globo protege políticos do PSDB e ataca o PT (numa tentativa da emissora fazer o principal partido da oposição voltar ao poder), Mas ele ficou calado sobre as falcatruas da emissora e do governo, como a aquela que o Lula renovou concessão da Globo em 2007, as da Copa 2014 e as Olimpíadas 2016. Por causa do desastre chamado PT-PMDB-PSDB entre 2015 a 2017, seus planos foram pro fundo do poço com a eleição do Bolsonaro.

Marco foi obrigado a encerrar as atividades do blog em 30 de janeiro de 2014:[3]

Morri!

Despedida serve para quem vai partir. Ora, se eu não vou partir, por que me despedir?

É que muita gente com quem convivi virtualmente não vai mais me encontrar. E, ao contrário de uma despedida planejada, como numa viagem, aqui a sensação de muitos vai ser o vazio, o abandono.

Parece presunção minha, mas não é? Afinal, muitos já disseram que o blog virou parada diária e leitura obrigatória.

Irônico, mas a internet tem disso: podemos decretar nossa morte.

Então, decreto-me morto.

Durante os últimos sete, oito anos, dediquei muito do meu tempo livre e da minha energia à confecção do blog. O custo foi alto e o retorno financeiro nenhum.

Mesmo assim, valeu a pena. Colhi preciosos frutos. Fiz muitos amigos e ganhei relevância, um público inimaginável para um profissional acostumado nestes 20 anos a lidar com a cozinha, fazendo apenas um pequeno prato do cardápio de um telejornal.

Aqui não. Fiz reportagem, crônica, prosa, verso, ficção...

Não me perdi, nem me encontrei. Como não sei para onde minha vida vai me levar, mas é para lá que quero ir, vou dar uma voltinha.

Preciso abrir uma janela de tempo livre para o novo entrar. Pode ser a produção de um filme, um livro, ou outro projeto qualquer. Ou pode simplesmente não ser nada mais.

Nos 20 dias em que estive de férias, com a ajuda de pessoas queridas, construí um novo jardim. E descobri na prática que é preciso, como na semente, morrer para germinar.

Se um dia eu voltar, espero encontrá-los bem. Tenho fé num futuro melhor para todos sem fome, pobreza extrema e tanta desigualdade. Obrigado a todos, de coração!

Salsa

Ligações externas[editar]