Massacre de Suzano

De Wikinet
Revisão de 14h43min de 22 de março de 2021 por Xetrak (discussão | contribs) (Após mais de dois anos, chegou a hora de criar um artigo sobre esta bosta)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

O Massacre de Suzano foi o massacre escolar que fechou a década de 2010 no Brasil com chave de bosta, após o massacre de Realengo tê-la aberto com o mesmo tipo de chave em 2011. Mas como aconteceu apenas dois dias antes do muito mais polêmico caso de Christchurch, a mídia internacional não deu uma foda para o ocorrido.

Eventos

No dia 13 de março de 2019, Guilherme Taucci Monteiro (17 anos) e Luiz Henrique de Castro (25 anos) mataram um total de 10 pessoas, incluindo eles mesmos. Os ocorridos foram na seguinte ordem:

  • primeiro Guilherme matou seu tio Jorge Antônio de Moraes;
  • depois a dupla foi à escola Raul Brasil em Suzano, grande São Paulo, e mataram cinco estudantes e duas funcionárias;
  • em seguida, Guilherme matou Luiz e depois cometeu suicídio.

Associação com o Dogolachan

Suposto fio na board secreta do Dogola postado dia 7 de março, uma semana antes do massacre. Print postado por DPR.
Thread com tradução da música "Pumped up Kicks" dois dias antes do massacre. Segundo DPR, este foi o prenúncio de que o crime realmente iria acontecer.

Na época, começou a se espalhar igual fogo a ideia de que Guilherme e Luiz eram frequentadores do Dogolachan de DPR, à época já a todo vapor. Essa teoria foi confirmada pelo próprio DPR e reproduzida como verdade absoluta em matérias online, como R7[1] e Vice,[2] por jornalistas doidos por uma boa história, mesmo que não tenha muitas provas.

DPR afirmou que Luiz era conhecido no chan como "luhkrcher666" e Guilherme como "1guY-55chaN". No entanto, a única evidência que ele apresentou foi um print meia-boca de 7 de março da suposta "board secreta" do chan (cuja existência é duvidosa) onde o massacre teria sido planejado. Isso compromete a credibilidade, pois como a board (se é que existe) é inacessível, o tal print pode ser falso ou mesmo retroativo com a data alterada. A escrita nos prints em questão se assemelha muito à escrita do próprio DPR, o que sugere que ele mesmo pode ter forjado tudo para promover a má fama do site.

O único fato realmente incontestável nessa história foi que dia 11, dois dias antes do massacre, foi postada uma thread no /b/ com a letra da música "Pumped up Kicks", famosa por sua associação com o Massacre de Columbine. Segundo o que está no print de DPR, a postagem da música seria um sinal de que o massacre realmente aconteceria. No entanto, esse tipo de merda era postado o tempo todo no Dogola, então não é nada de surpreender muito.

O youtuber Stackz chegou a gravar um vídeo entrando no chan dois dias após o massacre e lendo posts aleatórios, um deles dizendo que os atiradores teriam conhecido o fórum através do Felipe Neto. Depois disso, Feto obrigou Stacks a gravar uma retratação, mesmo ele não tendo acusado nada, apenas lido o que estava escrito.[3][4]

Nos primeiros dias após o massacre, o chan sofreu bastante instabilidade por causa de várias alterações feitas propositalmente por DPR para conter ataques de hackers e a espreita dos federais (máscara de ferro). Também recebeu um grande fluxo de curiosos, que aumentou sua userbase permanentemente. DPR logo depois moveu o chan para um endereço v3, que é mais seguro e mais longo.

Em fevereiro de 2020, os vendedores das armas e munições foram soltos e não foi encontrada nenhuma prova de que eles sabiam que elas seriam usadas em um massacre, reforçando a hipótese que a história do Dogolachan era pescaria. Como era de se esperar, nenhum jornal pediu desculpas pelo fake news divulgado.[5] Para piorar, em 30 de junho de 2020, novamente foi tirado do cu, dessa vez pelo UOL, que o atentado foi planejado no Dogolachan, mesmo que a polícia não tenha confirmado e nem negado a veracidade dessa informação.[6] Nessa mesma matéria, foi falado sobre os grupos "True Crime Community" nas redes sociais, que são obcecados por criminosos.

Os channers suspeitam que essas notícias, juntamente com os projetos de censura de internet e os acontecimentos estranhos no 55chan desde o início do ano, sejam uma conspiração para atrelar os chans brasileiros e acabar com eles.